Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Assinalando o Dia do Coração.

 

Parada de Gonta também assinalou o Dia do Coração com uma caminhada em volta da Freguesia.

Quatro dezenas de pessoas, apesar do mau tempo, responderam ao apelo da Junta de Freguesia que em colaboração com as Associações Paradenses, quiseram assinalar o Dia do Coração com um percurso pedestre.

Vontade de viver com qualidade de vida e tratar bem o coração não falta as estas gentes que mesmo com as contrariedades do tempo e os trabalhos caseiros por fazer (é de lembrar que é a um Domingo), fizeram-se representar por uma vida saudável e um coração bem forte.
Obs: A senhora que vai à frente com a camisola que assinala o dia do coração tem 90 anos.

 

Ver mais fotos


O que é isto?

 

Foto na ponte sobre o rio Pavia

 

 

Nem sempre se pode dizer bem de Parada de Gonta...

Acontece que estamos no século XXI mas para alguns ainda continuamos na era das trevas mais propriamente na época negra da Idade Média, altura que para tudo se fazia umas mixórdias para pedir ou fazer com que algo acontecesse. Aproveitaram-se depois outros para fazer a triste história da Inquisição e a caça às bruxas.

Fui alertado e enviaram-me fotos de um acontecimento que julgava já não ser possível. Na ponte sobre o Rio Pavia e para quem passa de  Parada de Gonta para Silgueiros ou vice-versa, exactamente ao meio  por cima do  muro que serve de guarda a peões e a automobilistas na noite de quarta-feira para quinta-feira, pelas 23.30 horas, estava um prato de barro cheio de carne ainda crua mas temperada e com rodelas de cebola, 4 latas com cerveja prontas a ser bebidas, 4 charutos, 4 velas e uma caixa de fósforos.

Parece que pregou um susto a alguém que demorou a recompor-se e é compreensível. Opssss!..
Qual seria a intenção de tal acto?


Novo ciclo de trabalhos

Trabalho "retrato de familia" - 5º ano

 

Novo ciclo neste blogue vai começar com trabalhos que os alunos vão fazendo. Servem os trabalhos para motivar os alunos e também para quem quiser consultar outra forma de ver e fazer nas aulas de EVT.

Embora a maioria dos trabalhos são repetitivos para nós, para os miúdos não é porque é a primeira vez que o fazem. Também todos os anos lectivos existem sempre formas novas de trabalhar e novos temas vão surgindo, por isso a sua colocação aqui e também como prémio para aqueles alunos que se esforçam para conseguir fazer melhor.

Começaram com um trabalho que tinha como tema “retrato da família” e onde eles representavam além da sua família, a sua casa, o seu automóvel e quem não tinha, o transporte escolar e uma árvore. Serve também o presente para fazer um diagnóstico das suas representações assim como dar a conhecer aos professores o seu agregado familiar.

Como é o primeiro trabalho a maioria dos alunos começam logo a dizer que não sabem desenhar... mas quando acabam alguns deles até ficam ficam surpreendidos com aquilo que fizeram.

Foi o que aconteceu ao fotografar estes trabalhos de alunos do 5º ano, chamei dois deles para me ajudarem e mostrei-lhes no site de EVT e também no tag “trabalhos dos alunos” os trabalhos dos colegas do ano passado. Resposta imediata: Eles já sabiam desenhar melhor que nós. Respondi que não e disse-lhes que todos conseguem ultrapassar as suas dificuldades quando se tem vontade para isso.

 

Ver mais trabalhos

 


Reflexão semanal escolar.

Reflexão semanal escolar

 

O regresso à escola aconteceu para milhares de jovens estudantes e também para funcionários e professores, porque estar na escola sem alunos e tratar de toda aquela burocracia nada tem a ver com o sentir da escola. O sentir da escola é constituído de barulhos, de corridas, de reclamações, de protestos, de ansiedades, de expectativas, de choros, de alegrias e muitos outros sentires. Foi o que aconteceu esta semana com o início das actividades lectivas.

Passou uma semana desde o  início das actividades lectivas e tudo na mesma. A discussão principal passa sobre direitos e deveres dos professores titulares que continuam num braço de ferro entre Ministério da Educação e os Sindicatos. Pelo menos os deveres e as obrigações já se sabem e nessa parte parece que o Ministério não abranda, ficando esta categoria de professores nos seus departamentos com a avaliação dos colegas. Como se vão fazer é que não se sabe, embora já haja algumas dicas no ECD e no próprio site do ministério, são alguns parâmetros de avaliação mas não dizem como e quando? Sabe-se também que os professores titulares serão avaliados na forma como avaliam os seus avaliados, neste caso os seus colegas de departamento. Depois ainda haverá aquela percentagem que será dita pelo ministério a que todos chamam “cotas” para se progredir na carreira. Isto em todos os escalões e em ambas as categorias de professores.

Esta semana é marcada também pelos computadores portáteis para os professores e alunos do 10º ano que muito têm sido divulgados pelos nossos ministros e por toda a comunicação social. Até agora só um professor da escola aderiu a esse protocolo e não me parece que outros o façam depois de verem bem as condições a que estão sujeitos. É que o que se diz agora, amanhã pode já não ser assim e foi o que aconteceu com os portáteis dos alunos do 10º ano, que até ontem, dia 21 de Setembro, dizia no site programa e.escolas que tinham de pagar uma certa quantia durante 12 meses e hoje, dia 22 de Setembro,  nesses mesmos  sites de referência dos portáteis já diz que pagam essa mesma quantia mas durante 36 meses. Assim, nunca é de fiar…


Recepção ao Caloiro 2007

 

Como vem sendo costume a E.B. 2,3 Prof. Dr. Mota Pinto na recepção aos alunos que vêm pela primeira vez à escola, os 5º. Anos, também chamados “alunos caloiros”, tinham à sua espera o baptismo.

Depois da recepção de boas-vindas por parte do Presidente do Conselho Executivo, da apresentação do Director de Turma e da presença de outros professores das turmas dos 5º anos, foi a vez destes alunos conhecerem os seus padrinhos, alunos dos 9º. Anos. Com um pano em volta dos olhos o aluno do 5º ano procurava um padrinho, alunos do 9º ano, que se encontravam num magote e sempre a trocar de posições até que chegasse o aluno do 5º ano e tocasse num deles, fazendo-se assim a escolha dos padrinhos com os afilhados.

Seguidamente fez-se o juramento dos padrinhos e afilhados numa sessão solene que teve como juramento o compromisso de honra. Este juramento consistia da parte dos mais velhos como padrinhos a boa orientação dos afilhados e da parte dos mais novos estudar. Comprometeram-se e aceitaram ambos (padrinhos e afilhados) as regras que foram estipuladas no juramento e lidas em voz alta, para depois em conjunto fazerem o baptismo na pia com água benta e na presença do padre e seus ajudantes que confirmaram o acto.

Encarregados de educação, professores e funcionários foram testemunhas deste acto.

Por último, foi a visita às instalações da escola para conhecerem o pavilhão, a cantina, a biblioteca e foram-lhes dadas instruções de como funcionam.

Bom Ano!..

Ver Fotos da Recepção ao Caloiro 

 


Domingo na Aldeia..

 

Inserido num programa cultural, realizou-se no dia 9 de Setembro de 2007, uma acção denominada “Domingos na Aldeia”, organizada pela A.C.R. “Os Amigos” de Parada de Gonta e com a colaboração do Rancho Folclórico de Parada de Gonta e ACERT de Tondela.

Foi um Domingo à antiga que fez recordar os mais idosos dos belos tempos em que se juntavam numa desfolhada durante a noite e recordam a alegria quando saía uma espiga vermelha a alguém que teria que beijar os elementos da roda. Diziam os mais idosos  que era a única forma de receber ou dar um beijo a uma rapariga, mas também  realçavam que esses é que eram os bons tempos.

Agora, servindo como recordação a esses tempos foi feita uma demonstração de uma desfolhada que serviu para os mais novos verem, conhecerem e ouvirem as histórias dos avós.

Com o apoio da Junta de Freguesia de Parada de Gonta estão de parabéns por esta iniciativa o Grupo dos Amigos e o Rancho Folclórico que tão bem souberam representar este dia à antiga.

Ver Vídeo do Evento

 

Ver Vídeo do Evento

Ver fotos do Evento

                               


Professor Titular..O Salvador?

 

Professor Titular…O Salvador?

Mas será que alguém de bom senso acredita que as coisas vão melhorar só porque foi criada a categoria de professor titular?

Passou para a opinião pública que esta divisão de professores iria criar mais estímulos e motivação a todos os professores e por consequência melhorias na qualidade de ensino. Uns porque eram titulares e outros porque lá queriam chegar. Pois o engano começa por aqui.

Aos professores titulares foi-lhes impingida a avaliação dos colegas sem meios para isso.

Numa reunião de coordenação foi-lhes dito: Vocês têm que fazer a avaliação dos colegas do vosso departamento, desenrasquem-se e arranjem a melhor forma para isso.Pura e simplesmente não lhes foi atribuído qualquer crédito horário para estas funções de avaliação e com o acréscimo de terem que observar as aulas dos colegas do seu departamento, que agregam várias disciplinas, e ainda para reuniões de articulação entre os mesmos. Por aqui se vê que os registos de observação acabam por não ser fiáveis e só quem der nas vistas é que não passará despercebido. Faço-me entender?

Para aqueles que querem subir na carreira e aqueles que querem chegar a professores titulares, a desmotivação também vai ser um factor a ter em conta, porque se vão aperceber que no meio deste sistema de avaliação vai haver muito jogo sujo.

 

Fica aqui o registo de um comentário meu (do arte)  ao colega Peciscas.

Mantenho exactamente essas preocupações Peciscas. Hoje o que ouvi sobre o que têm que fazer os professores titulares até dá angústia. Vão avaliar os colegas sem se saber como o irão fazer e logo se vê o clima que vai trazer esta situação. Numa reunião foi-lhes dito que irão ter que fazer uns critérios nos quais vão fazer a observação dos colegas para os avaliar. No meu caso com 11 colegas de várias disciplinas pertencentes ao Departamento que sou coordenador vai ser terrível. O mais engraçado disto tudo é que o coordenador vai observar os colegas sem ter horas no seu horário para isso. Se tem um horário completamente cheio, porque assim mandou a Sr. Ministra, como se vai fazer a observação dos colegas e como se vai conseguir manter um registo adequado das suas actividades? Não sei e não creio que isto vá continuar assim. Mas uma coisa é certa, este ME conseguiu pôr colegas uns contra os outros e creio que vai dar origem ao favorecimento de compadrios. Um abraço Peciscas.

 


Masoquismo ou medo?

Acabam oficialmente no dia 3 de Setembro as férias para todos os  professores.

Depois da imposição às escolas dum modelo de organização dos professores em duas categorias com fins puramente economicistas, com objectivos e fins muito difusos mas que se diziam em prol da melhoria da qualidade da educação, vai começar o novo ano lectivo com as mesmas roupagens e com a tão propagandeada melhoria da qualidade do ensino vista por um canudo.

 

A clara mudança que houve para este ano lectivo que vai iniciar foi a divisão dos professores em duas categorias: Professor e Professor Titular.

Que é que isto traz de novo para a melhoria das aprendizagens dos alunos ou para melhorar a qualidade do ensino? Nada!..Exclusivamente nada.

Se os profissionais são os mesmos, as escolas as mesmas, os alunos os mesmos, os meios os mesmos, as turmas grandes e com muitos alunos com necessidades especificas, as grandes cargas horárias as mesmas, a gestão a mesma, etc, etc., o que levará o ME a julgar que com estas medidas impopulares da divisão da classe, opinião da maioria dos docentes, vai conseguir inverter aquilo a que chama a rotina da baixa qualidade do ensino.

Será porque houve uma classe que foi dividida por razões especificamente economicistas que os leva a pensar assim? Será porque o grande descontentamento que grassa na classe docente pela maioria das medidas tomadas pelo ME, no afrontamento e mesmo achincalhamento que fez aos docentes, os leva a pensar assim? Ou será que vai impôr a lei da rolha e combater os docentes através do medo? A não ser assim parece querer chamar masoquistas à classe dos professores.

A todos os trabalhadores da Educação um bom regresso à escola!..

 OBS: Há um ano tinha editado um post com o titulo "medo"

 


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.