Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

O Blog trata de brincadeiras artísticas, escola, paradadegonta e bisbilhotices. Costumo dizer "arte sem arte é uma nova forma de arte". Dizer o que vai na alma ..é sentir o que me rodeia. email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

O Blog trata de brincadeiras artísticas, escola, paradadegonta e bisbilhotices. Costumo dizer "arte sem arte é uma nova forma de arte". Dizer o que vai na alma ..é sentir o que me rodeia. email: ag_silva@hotmail.com

3º Aniversário da JF de Parada de Gonta.

 

 

Faz hoje dia 31 de Outubro, 3 anos, que a Junta de Freguesia de Parada de Gonta tomou posse.

No primeiro ano, ainda havia muitas esperanças que as coisas corressem pelo melhor. Nesse 1º ano a esperança era ainda bem latente nas manifestações espontâneas dos paradenses. Alguns ainda podem duvidar e perguntar o que correu mal? falo em nome pessoal e não da instituição que represento, sobre o que acho da minha insatisfação.

Como atrás já tinha referido num post, o Município de Tondela tem 26 filhos, que precisam de ser alimentados dum bolo que devia ser repartido com critérios bem definidos nas proporções correctas para que ninguém ficasse com fome. Só que é  como aquelas mães que não deviam ser mães, mas são-no e fazem a descriminação dos seus filhos dando a uns alimento para poderem sobreviver enquanto que a outros mandam-nos desenrascar da forma como puderem. É o que acho que está a acontecer e é o que ouço em queixas dos paradenses sobre as melhorias de acessibilidades, saneamento e electrificação da sua terra. Parada …parou. Parece o slogan que melhor encaixa sobre o que está acontecer. Promessas foram muitas e algumas ainda podem ser cumpridas mas já não apagam a má memória destes três anos. Fomos contemplados com vinte mil euros num projecto de requalificação que os paradenses conhecem. Os outros ficaram na gaveta até melhores dias se os houver.

É pena que não se olhe para um elenco que fez o levantamento das necessidades da freguesia, cheio de boas intenções e com vontade de trabalhar em prol da terra e se olhe só para o seu umbigo. As Juntas de Freguesia, pelo menos as pequenas como a nossa, só servem para apararem as queixas e lamentações do povo, passarem uns atestados e uns registos de canídeos e pouco mais, porque a verdadeira decisão não está nas suas mãos. Queremos mas não podemos.

Foi assim que tivemos que nos desenrascar por outras formas para acabarmos o mandato (falta 1 ano) com algo que fique na memória das pessoas. Concorremos a vários projectos e pelo menos em dois fomos contemplados e que são uma mais valia para a terra. Fomos contemplados na área da prevenção de incêndios com um Kit de Incêndios de 1ª intervenção e uma carrinha com uma equipa de Sapadores Florestais ( este projecto foi em parceria com a Junta de Freguesia de S.Miguel do Outeiro e a Junta de Freguesia de Sabugosa). Também dignificamos o cemitério com uma calçada e mais uns arranjos pontuais em toda a Freguesia sem esquecer a herança que nos foi legada e já paga. Donde vem o dinheiro? As Juntas de Freguesia recebem anualmente do governo (FEF) cerca de vinte mil euros para ordenados e manutenção de pequena monta, mas que poupadinhos vão dando para apresentar alguma obra. Não esquecer que os atestados e o registo de canídeos também vão dando algum pé-de-meia para colmatar pequenas despesas.

Mas não é só de obra que vive o homem e pelo menos este elenco tratou todos os cidadãos de igual forma, com respeito e sempre disponível para ouvir e dar sugestões. Outra mais valia de Parada de Gonta e por todos reconhecida, mesmo os de fora, que é uma terra limpa, asseada e as suas gentes são de bom trato.

E pronto!..Fica o desabafo, do desalento que vai crescendo à medida do que se quer fazer e não se pode. 

 

Objectivos Individuais-Grelhas de Apoio à sua Definição

Grelhas elaboradas pelo Presidente do Conselho Executivo da EB 2,3 Prof. Mota Pinto - Lajeosa do Dão de apoio à definição dos Objectivos Individuais.

 

Apesar da indignação manifestada pelos professores à Sr. Ministra da Educação, ficam aqui registadas mais 7 grelhas que servirão de ajuda na construção dos objectivos individuais.

 

Avaliação sim...burocracia não!.

 

1 - FICHA DE ORIENTAÇÃO PARA O PREENCHIMENTO DOS OBJECTIVOS INDIVIDUAIS

2 - RECOLHA DE DADOS E PROPOSTAS DE MELHORIA NO 2º E 3º CICLOS

3 - CARACTERIZAÇÃO DA TURMA NO 2º CICLO

4 - CARACTERIZAÇÃO DA TURMA NO 3º CICLO

5 - CARACTERIZAÇÃO DA TURMA - CEF

6 - CARACTERIZAÇÃO DAS TURMAS DO 2º E 3º CICLOS

7 - FICHA PARA OS OBJECTIVOS INDIVIDUAIS - 2º E 3º CICLOS

 

Mais 4 grelhas de apoio à Ed. pré-escolar,dia 31 de Novembro de 2008

 

8 - FICHA DE ORIENTAÇÃO PARA O PREENCHIMENTO - ED.PRÉ-ESCOLAR

9 - RECOLHA DE DADOS - ED. PRÉ-ESCOLAR

10 - CARACTERIZAÇÃO DAS TURMAS/ALUNOS - ED. PRÉ-ESCOLAR

11 - OBJECTIVOS INDIVIDUAIS - ED. PRÉ-ESCOLAR

 

Mais 3 grelhas de apoio ao 1º Ciclo, dia 6 de Novembro de 2008

 

12 - RECOLHA DE DADOS - 1º CICLO

13 - CARACTERIZAÇÃO DAS TURMAS - 1º CICLO

14 - OBJECTIVOS INDIVIDUAIS - 1º CICLO

 

 Grelha preenchida

15- OS MEUS OBJECTVOS INDIVIDUAIS

 

O desalento continua... em crescendo.

 
O desalento continua... em crescendo.
 
Mais uma reunião geral para preparação das fichas de objectivos individuais. São tantos os itens que deram origem às fichas que é preciso horas e horas a fazer contas de médias de percentagens e ponderações para resultados que se só se verificarão no final do ano. Mas tudo se baseia em previsões que não podem ser falíveis, porque os resultados, esses têm que ser reais sem direito a falha. E se erra na sua previsão será penalizado com objectivo não cumprido. Estas fichas de objectivos individuais que têm por referência o Projecto Educativo, o Plano Anual de Actividades, o Projecto Curricular de Escola/Agrupamento, o Projecto Curricular de Turma e a Avaliação Diagnostica, na previsão dos resultados dos alunos, vão consumindo tempo em reuniões para que batam todas no mesmo sentido. Se uma turma tem uma meta no Projecto Educativo elevada, essa terá que ser mantida mesmo que os alunos não se empenhem e deixem de fazer os seus trabalhos. Outro referencial é a avaliação diagnóstica que se faz a uma turma para que o professor tenha indicadores para uma base de partida, mas quem anda no ensino sabe que existem muitos alunos fraquinhos que vão transitando mesmo com dificuldades, passando estes, por umas estratégias mais "facilitadoras" e por aulas de apoio para que possam transitar. Estes alunos apesar de transitarem ao sujeitarem-se a uma avaliação diagnóstica revelam todas as suas dificuldades e dão como indicador negativo, mas nas metas do PEA estão com indicador positivo, porque passaram de ano. A questão que se põe é: Se foi o mesmo professor e eles tiveram um indicador positivo no ano passado, agora têm um indicador negativo, que metas é que se devem referenciar nos objectivos individuais? Se vai pelo PEA, vai ter que os passar todos, mas se vai pela avaliação diagnóstica, então vai supor metas menos elevadas que as que já estão definidas no PEA. Aqui está também uma questão de ética profissional e ninguém se sente bem ao fazer previsões de metas menos elevadas para uma turma que foi sua, o que revela que algo não foi bem conseguido.
Estas fichas têm que estar concluídas até 15 de Novembro e são ainda a ponta do iceberg daquilo que ainda está para vir.
Por tudo isto, existe um descontentamento geral nos professores neste processo burocrático que vai consumindo energias, sem ter nada a ver com a qualidade de ensino e com as aprendizagens dos alunos, afastando-os da sua função principal que é ensinar.
Apesar da escola ter tudo preparado para que a avaliação prossiga, entendeu-se nesta reunião geral que se irá propor uma moção de indignação, dirigida à Ministra da Educação, por este modelo desajustado e burocrático.

Prémio Dardos

Tive a honra de ser agraciado através do autor do blogue Dispersamente, o amigo António, “Um Viseense tão Leiriense como os que o são...” com o logótipo aqui reproduzido “prémio dardos”.
Para dar sequência a este prémio, também vou aproveitar a boleia do que já está escrito em vários sítios:
Informações sobre o Prémio Dardos:
"Com o Prémio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.
Quem recebe o "Prêmio Dardos" e o aceita deve seguir algumas regras:
1. - Exibir a distinta imagem;
 2. - Linkar o blog pelo qual recebeu o prémio;
3. - Escolher quinze (15) outros blogs a quem entregar o Prémio Dardos."
Sem desprimor por outros blogues nomeio aqueles que  à muito fazem parte do meu quotidiano ao longo destes 5 anos de blogosfera.
Azoriana; Ailaife Blog; Pé de meia; Pé de vento; Voz do Seven 2; Segundavida; Santa Terrinha; O Micróbio II; Grilinha; Viseu – Revista de Imprensa; Yulunga; Vila Flor em Flor; ProfAvaliação; Titofarpas; Terrear; A Educação do Meu Umbigo; A Sinistra Ministra.

Postal de Parada de Gonta..26

Empedramento do cemitério de Parada de Gonta

 

Obras a cargo da Junta de Freguesia de Parada de Gonta. Requalificação da entrada do cemitério com paralelo, a dignidade que o cemitério à muito carecia. Dia 1 de Novembro é o dia de todos os santos e muitos  familiares virão visitar os seus entes queridos a este cemitério que a partir de agora tem acessibilidades muito mais dignas.

 

 

Resposta do Prof. Simplício.

 

         Resposta do Prof. Simplício a um anónimo indignado com a indignação dos professores...

        Caro anónimo indignado com a indignação dos professores, homens (e as mulheres) não se medem aos palmos, medem-se, entre outras coisas, por aquilo que afirmam, isto é, por saberem ou não saberem o que dizem e do que falam.
        O caro anónimo mostra-se indignado (apesar de não aceitar que os professores também se possam indignar! Dualidade de critérios deste nosso estimado anónimo... Mas passemos à frente) com o excesso de descanso dos professores: afirma que descansamos no Natal, no Carnaval, na Páscoa e no Verão, (esqueceu-se de mencionar que também descansamos aos fins-de-semana). E o nosso prezado anónimo insurge-se veementemente contra tão desmesurada dose de descanso de que os professores usufruem e de que, ao que parece, ninguém mais usufrui.
            Ora vamos lá ver se o nosso atento e sagaz anónimo tem razão. Vai perdoar-me, mas, nestas coisas, só lá vamos com contas.
            O horário semanal de trabalho do professor é 35 horas. Dessas trinta e cinco, 11 horas (em alguns casos até são apenas dez) são destinadas ao seu trabalho individual, que cada um gere como entende. As outras 24 horas são passadas na escola, a leccionar, a dar apoio, em reuniões, em aulas de substituição, em funções de direcção de turma, de coordenação pedagógica, etc., etc.
            Bom, centremo-nos naquelas 11 horas que estão destinadas ao trabalho que é realizado pelo professor fora da escola (já que na escola não há quaisquer condições de o realizar): preparação de aulas, elaboração de testes, correcção de testes, correcção de trabalhos de casa, correcção de trabalhos individuais e/ou de grupo, investigação e formação contínua. Agora, vamos imaginar que um professor, a quem podemos passar a chamar de Simplício, tem 5 turmas, 3 níveis de ensino, e que cada turma tem 25 alunos (há casos de professores com mais turmas, mais alunos e mais níveis de ensino e há casos com menos - ficamos por uma situação média, se não se importar). Para sabermos o quanto este professor trabalha ou descansa, temos de contar as suas horas de trabalho.
            Vamos lá, então, contar:
            1. Preparação de aulas: considerando que tem duas vezes por semana cada uma dessas turmas e que tem três níveis diferentes de ensino, o professor Simplício precisa de preparar, no mínimo, 6 aulas por semana (estou a considerar, hipoteticamente, que as turmas do mesmo nível são exactamente iguais -- o que não acontece -- e que, por isso, quando prepara para uma turma também já está a preparar para a outra turma do mesmo nível). Vamos considerar que a preparação de cada aula demora 1 hora. Significa que, por semana, despende 6 horas para esse trabalho. Se o período tiver 14 semanas, como é o caso do 1.º período do presente ano lectivo, o professor gasta um total de 84 horas nesta tarefa.
            2. Elaboração de testes: imaginemos que o prof. Simplício realiza, por período, dois testes em cada turma. Significa que tem de elaborar dez testes. Vamos imaginar que ele consegue gastar apenas 1 hora para preparar, escrever e fotocopiar o teste (estou a ser muito poupado, acredite), quer dizer que consome, num período, 10 horas neste trabalho.
            3. Correcção de testes: o prof. Simplício tem, como vimos, 125 alunos, isto implica que ele corrige, por período, 250 testes. Vamos imaginar que ele consegue corrigir cada teste em 25 minutos (o que, em muitas disciplinas, seria um milagre, mas vamos admitir que sim, que é possível corrigir em tão pouco tempo), demora mais de 104 horas para conseguir corrigir todos os testes, durante um período.
 
          4. Correcção de trabalhos de casa: consideremos que o prof. Simplício só manda realizar trabalhos para casa uma vez por semana e que corrige cada um em 10 minutos. No total são mais de 20 horas (isto é, 125 alunos x 10 minutos) por semana. Como o período tem 14 semanas, temos um resultado final de mais de 280 horas.
            5. Correcção de trabalhos individuais e/ou de grupo: vamos pensar que o prof. Simplício manda realizar apenas um trabalho de grupo, por período, e que cada grupo é composto por 3 alunos; terá de corrigir cerca de 41 trabalhos. Vamos também imaginar que demora apenas 1 hora a corrigir cada um deles (os meus colegas até gargalham, ao verem estes números tão minguados), dá um total de 41 horas.
            6. Investigação: consideremos que o professor dedica apenas 2 horas por semana a investigar, dá, no período, 28 horas (2h x 14 semanas).
            7. Acções de formação contínua: para não atrapalhar as contas, nem vou considerar este tempo.
            Vamos, então, somar isto tudo:
            84h+10h+104h+280h+41h+28h=547 horas.
            Multipliquemos, agora, as 11horas semanais que o professor tem para estes trabalhos pelas 14 semanas do período: 11hx14= 154 horas.
Ora 547h-154h=393 horas. Significa isto que o professor trabalhou, no período, 393 horas a mais do que aquelas que lhe tinham sido destinadas para o efeito.
            Vamos ver, de seguida, quantos dias úteis de descanso tem o professor no Natal.
            No próximo Natal, por exemplo, as aulas terminam no dia 18 de Dezembro. Os dias 19, 22 e 23 serão para realizar Conselhos de Turma, portanto, terá descanso nos seguintes dias úteis: 24, 26, 29 30 e 31 de Dezembro e dia 2 de Janeiro. Total de 6 dias úteis. Ora 6 dias vezes 7 horas de trabalho por dia dá 42 horas. Então, vamos subtrair às 393 horas a mais que o professor trabalhou as 42 horas de descanso que teve no Natal, ficam a sobrar 351 horas. Quer dizer, o professor trabalhou a mais 351 horas!! Isto em dias de trabalho, de 7 horas diárias, corresponde a 50 dias!!! O professor Simplício tem um crédito sobre o Estado de 50 dias de trabalho. Por outras palavras, o Estado tem um calote de 50 dias para com o prof. Simplício.
            Pois é, não parecia, pois não, caro anónimo? Mas é isso que o Estado deve, em média, a cada professor no final de cada período escolar.
            Ora, como o Estado somos todos nós, onde se inclui, naturalmente, o nosso prezado anónimo, (pressupondo que, como nós, tem os impostos em dia) significa que o estimado anónimo, afinal, está em dívida para com o prof. Simplício. E ao contrário daquilo que o nosso simpático anónimo afirmava, os professores não descansam muito, descansam pouco!
            Veja lá os trabalhos que arranjou: sai daqui a dever dinheiro a um professor. Mas, não se incomode, pode ser que um dia se encontrem e, nessa altura, o amigo paga o que deve. 
 

Chegado via email por Manuel Martins

 

Vale a pena ver....a preocupação com a manifestação dos professores

 

Testes e grelhas de observação diagnóstico de EVT

 

 

GRELHA DE OBSERVAÇÃO DIAGNÓSTICO 5ºANO À DISCIPLINA DE EVT

GRELHA DE OBSERVAÇÃO DIAGNÓSTICO 6ºANO À DISCIPLINA DE EVT

FICHA AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICO 5º ANO À DISCIPLINA DE EVT

FICHA AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICO 6º ANO À DISCIPLINA DE EVT

 

GRELHA OBSERVAÇÃO DE AULA POR ALUNO DE U.TRABALHO

GRELHA OBSERVAÇÃO GERAL DE TURMA 

 

Programa Comenius/Rancho Folclórico de Parada de Gonta

Ao longo de dois anos lectivos, 2008/09 e 2009/2010, a Escola da EB 2,3 Prof. Dr. Mota Pinto, irá participar no Programa Comenius, no âmbito do Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida, da União Europeia. Este projecto consiste numa Parceria Multicultural entre Escolas que envolve a escola e ainda outras quatro escolas europeias da Bulgária, França, Hungria e Polónia.
 O tema global do projecto é: “Os jovens no nosso XXI: entre dificuldades e expectativas” e, neste âmbito, serão abordados temas com os quais os jovens se defrontam nos dias de hoje, tais como a violência, a exclusão social, o racismo, a discriminação, a xenofobia, o preconceito, os estereótipos, entre outros. Os alunos da escola terão a oportunidade de debater e trabalhar estes temas tão actuais com jovens da mesma idade, oriundos das outras quatro escolas parceiras e, principalmente, que se digladiam também com os mesmos problemas.
            Estas temáticas serão abordadas em simultâneo pelos alunos das 5 escolas parceiras, e os trabalhos realizados em cada país serão partilhados com os colegas via Internet ou correio tradicional e publicados num website comum.
            Foi a semana de 13 a 17 de Outubro de 2008 que envolveu os alunos, professores, funcionários e pais que aderiram ao projecto e onde houve de tudo um pouco, desde a cerimónia de recepção, aos alunos assistirem às aulas portuguesas, visitarem e serem recebidos nos paços da Câmaras Municipais de Tondela e Viseu, visitarem a região onde a escola está inserida e sempre acompanhados dos alunos da EB 2,3 Prof. Dr. Mota Pinto que com eles partilham este projecto. Foi uma forma de socialização entre os alunos dos vários países e também o conhecimento de usos e costumes de cada país que se foram revelando ao longo da partilha da semana que passou.
            Para encerrar o Programa Comenius e desejar boa viagem até aos seus países às escolas participantes no projecto de parcerias multilaterais, escolas de França, Bulgária, Hungria e Polónia, o Agrupamento de Escolas da Lajeosa do Dão, organizou uma cerimónia de encerramento  com um jantar de despedida onde  participaram os  professores, funcionários, alunos, pais e familiares aderentes ao projecto. Para abrilhantar a cerimónia actuou o  Rancho Folclórico de Parada de Gonta, uma fadista e um grupo de alunos da Hungria e outro da Bulgária.
             Depois foi a despedida entre os alunos da escola e seus colegas estrangeiros e ainda entre os colegas professores dos vários países. O que se viu foram muitos alunos emocionados com a despedida e a lágrima ao canto do olho fez a sua aparição das amizades construidas.
Boa viagem e até Março para novo encontro na Bulgária.
 
Ver Vídeo do Rancho Folclórico de Parada de Gonta

1º Encontro Comenius

 

 

    PARA DAR AS BOAS-VINDAS ÀS ESCOLAS PARTICIPANTES NO PROJECTO COMENIUS DE PARCERIAS MULTILATERAIS, ESCOLAS DE FRANÇA, BULGÁRIA, HUNGRIA E POLÓNIA, O AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA LAJEOSA DO DÃO, ORGANIZOU UMA CERIMÓNIA DE ABERTURA ONDE PARTICIPARAM TODAS AS ESCOLAS PERTENCENTES A ESTE AGRUPAMENTO PROFESSORES, FUNCIONÁRIOS, ALUNOS, ELEMENTOS DAS AUTARQUIAS, GOVERNO CIVIL E DIRECTOR REGIONAL DE EDUCAÇÃO.

 

I ENCONTRO COMENIUS

PARCERIA ENTRE ESCOLAS

13-17 OUTUBRO 2008

 

PROGRAMA DA CERIMÓNIA DE ABERTURA

 

        10:30H – INÍCIO DA CERIMÓNIA E DISCURSOS DE BOAS VINDAS

        10:50H – BEM-VINDOS A PORTUGAL (FILME)

        11:OOH – ACTUAÇÕES

1-       “HINO DA ALEGRIA” (PROF. ISABEL E ALUNOS)

2-       ALUNOS DO JARDIM-DE-INFÂNCIA DE PARADA DE GONTA – CANÇÃO “INDO EU, INDO EU, A CAMINHO DE VISEU” (EDUCADORA FERNANDA).

3-       ALUNOS DO 1ºCICLO – RAPSÓDIA DE CANÇÕES INFANTIS (PROF. FERNANDA E LUISA).

4-       ALUNOS DO 5º ANO – INTERPRETAÇÃO DE PEÇA INSTRUMENTAL “MÁQUINA DE ESCREVER”, DO COMPOSITOR ANDERSON E INTERPRETAÇÃO CORPORAL/VOCAL/INSTRUMENTAL DA MELODIA “REGRESSO À ESCOLA” (PROF. ANTONINA).

5-       GRUPO DE DANÇA – COREOGRAFIA DE DOIS TEMAS (PROF. SILVIA)

6-       GRUPO DE CANTARES – INTERPRETAÇÃO DE RAPSÓDIA DE MÚSICAS POPULARES PORTUGUESAS (PROF. ISABEL E ALUNOS)

7-       FADO – INTERPRETAÇÃO DOS TEMAS “Ó GENTE DA MINHA TERRA” E “LÁGRIMA” – (D. GRAÇA COSTA)

 

 


 

"Uma porta aberta ao mundo"...

 
Pé ante pé encetámos uma nova vida na nossa escola e as suas portas foram-se abrindo, de par em par, em busca de outros saberes e outras experiências, capazes de levar os nossos alunos mais longe… Dos projectos foram nascendo novas intenções e novos desafios…
Desta vez resolvemos apostar no projecto Comenius (projecto internacional), para “unir na diversidade em busca de ideais comuns” como a Paz, a Tolerância, a Solidariedade, o respeito pelos Direitos Humanos.
Num corrupio, a nossa escola lançou mãos ao projecto, fazendo convergir professores, alunos, funcionários, pais, autarquias, associações culturais e comunidade local. Formaram-se equipas de trabalho a todos os níveis e, desde a cantina à Biblioteca, todos preparámos a sua recepção e estadia.
De uma escola do interior, rapidamente passámos a uma escola global, onde cada canto tem sempre um olhar do Mundo e para o Mundo!
 Estudámos com afinco os quatro países parceiros (França, Polónia, Bulgária, Hungria), tentando perceber-lhes as suas identidades e as suas culturas e montámos a exposição!
 
Hoje, outros olhares repassam os nossos poetas e escritores, os nossos músicos, os nossos gostos, enfim, os nossos usos, costumes e tradições…
Por entre sorrisos e trejeitos, vão-se pronunciando palavras de conforto e de união com diferentes sotaques e em diferentes línguas… Na Biblioteca e nas salas de aulas estuda-se e aprende-se em conjunto! 


Prof. Lúcia Almeida

Trabalho com Recortes de Jornal.

 

Com recortes de jornal os alunos do 5º ano deram largas à sua imaginação.
Aproveitando pedaços de jornal, colando-os numa folha A3 e pintando-os ao seu gosto com lápis de cor e lápis de cera, os alunos do 5º ano verificaram que arte não é só fazer lindos desenhos.
Neste trabalho foram aplicados alguns elementos básicos da linguagem visual e plástica, o ponto, a linha, a luz/cor e a textura.

5 de Outubro de 1910


Carregar no slide

Um País… uma História” é o nome da actividade promovida pelo Departamento de Ciências Humanas e Sociais que visa dar a conhecer, a toda a comunidade educativa, os acontecimentos mais significativos da nossa História. Deste modo preparou um conjunto de actividades para assinalar o 5 de Outubro de 1910 das quais se destacam:

 

·       Projecção de um documentário elaborado em Powerpoint “Um momento… RES PUBLICA”;

·       Jogo “Caça Palavras” a decorrer na biblioteca.

                                                    Participa!

Rir faz bem..

 

 

Sorria, não perca este acto tão comum ao comum de todos (ainda não paga imposto).

Sorria, mesmo sem vontade porque esses são os ditames para ser pessoa bem-educada.

Sorria, mesmo quando sabe que o estão a tratar com indiferença.

Sorria, quando sabe que os vampiros levaram o mundo à falência com o seu egoísmo hipócrita e agora você tem que pagar a crise.

Sorria, quando vê esses surripiadores das empresas serem despedidos só para levarem os milhões de indemnização e você que nem quer ser despedido, é despedido e não leva nada.

Sorria, quando o ministro, Pinho, diz que o mundo da prosperidade acabou, e você nem sabia dessa prosperidade, porque sempre lhe mandaram apertar o cinto.

Sorria, quando o governo diz que a crise não chega cá, porque cá já estava instalada.

Sorriam Professores, que essas fichas de objectivos individuais que agora lhes tiram o sono na sua construção, fazem parte deste sistema que dá vontade de rir.

 

Até porque hoje é o dia mundial do sorriso!..Sorria.

 

Dia Mundial da Música

Ao som da flauta a EB 2,3 Prof. Mota Pinto comemorou a Dia Mundial da Música  ( 1 de Outubro)  interpretada com uma coreografia pelo(a)s aluno(a)s da escola.
Esta actividade foi realizada no intervalo das aulas e faz parte do Plano Anual de Actividades do  Departamento de Expressões.


Vem mesmo a calhar no seguimento do post anterir.

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.