Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Reviver o passado com o OPULÊNCIA/58º Grupo do Tacho

Reviver o passado com o Grupo Musical OPULÊNCIA.

Foi uma tarde para mais tarde recordar…

Numa organização conjunta entre a ACR “Os Amigos de Parada de Gonta “ e o Grupo do Tacho, a tarde de Domingo, dia 25 de Novembro de 2012, nunca mais será esquecida. Foi o dia mágico que juntou o Grupo Musical Opulência, grupo que deu muitas alegrias aos Paradenses ao longo da sua existência.

No seu vasto reportório existem lindas canções dedicadas aos Paradenses e muitas mais de sua autoria que qualquer jovem da altura cantava como “ As Noites na Boite, ainda hoje muito trauteada nas bocas dos paradenses. O dia é para recordar porque ao fim de 23 anos juntaram-se e os paradenses viram o seu mais amado grupo de novo em ação.

Com a sala da sede da Associação Cultural e Recreativa “Os Amigos” de Parada de Gonta completamente cheia e com transmissão em direto (http://www.ustream.tv/channel/os-amigos-de-parada-de-gonta.), com gente de todas as idades, mais idosos e muitos jovens em completa harmonia para ouvir cantar o Gilberto Amaral músicas de poemas de jovens paradenses, (na altura jovens) e retirados do baú onde estiveram estes anos todos. Foi um momento lindo que os autores dos poemas nunca imaginaram.

Antes deste momento e durante cerca de 1 hora foram passados diapositivos de outros tempos onde se viu o grupo Opulência a atuar à cerca de 30 anos atrás, as festas de Santa Ana e as gentes de Parada de Gonta, muitos deles já não se encontrando entre nós e que deixam muitas saudades.

Depois do Gilberto Amaral cantar a solo, os tais poemas dos amigos retirados do baú, foi o momento alto com a entrada do Conjunto Opulência. 23 anos depois é obra!. Tocaram e os Paradenses vibraram com um baile à antiga. Retiraram-se as cadeiras do centro da sala, fez-se uma pista onde todos deram largas à sua alegria. Novos e velhos, tudo dançava. Recordou-se a beleza daqueles tempos com alegria, boa disposição e muita energia. Foi lindo!

Depois de acabada a festa foi a vez do Grupo do Tacho se reunir, no seu 58º convívio, com os elementos do grupo Opulência, o grupo ACR Os Amigos e outros convidados para uma ceia de confraternização entre todos. Foi feita uma reflexão sobre o dia que, por unanimidade, todos acham que foi dos melhores convívios entre as gentes de Parada de Gonta e que devia repetir-se para dar alegrias a este povo para que possa esquecer as amarguras do dia-a-dia.

Os agradecimentos a todos aqueles que fizeram com que este evento se realizasse e parabéns aos que colaboraram para abrilhantar este espetáculo.

Parabéns à Vanessa pela sua atuação e coragem em atuar com um grupo já de outra geração.

Um dia haverá mais…

Video 1


Vídeo 2


Prova de Estrada 2012

Os Professores de Educação Física, no âmbito do Projeto do Desporto Escolar, organizaram e realizaram no dia 21 de novembro, a XVIII Prova de Estrada. Com um excelente dia para a prática do desporto os alunos inscritos perfilaram segundo as suas idades no local já indicado pelos professores para a partida deste evento. A primeira largada foi o reconhecimento do percurso com as respetivas indicações por parte dos professores de Educação Física.

Pouco depois deu-se o início da partida segundo os vários escalões. Foi uma manhã em cheio com muita aventura pelo meio.

Os prémios aos alunos vencedores serão dados na festa de Sarau Natal.

Um agradecimento especial aos Bombeiros Voluntários da Lajeosa do Dão e aos professores das AEC, Professor Miguel Riquito e Eduardo Neves, pela sua prestimosa colaboração.

 

Parceria com o Jornal Escolar As Nossas Vozes 


Edificio da J.F. de Cedofeita


Passagem pela cidade do Porto. Quem passa pelo Porto e não come/saboreia uma francesinha é como ir ao Vaticano e não ver o Papa. Foi o que fiz atrás do edificio da Junta de Freguesia de Cedofeita num restaurante que se chama Porto Belo. Bem feitas e com um molho a condizer que até me esqueci do que fui fazer ao Porto.


Materiais para Educação Tecnológica em ppt 5º e 6º anos - 3º post de ET

 

 
Novos materiais para Educação Tecnológica em PowerPoint
 
 

Projeto Fonte Figueira

Projeto de pintura a acrílico da Fonte Figueira em Parada de Gonta.

Como não existem fotos da altura, Tomás Ribeiro fala nesta fonte no seu livro mais conhecido "D.Jaime, vou fazendo a recriação da fonte segundo aquilo que me contam. Contam também que dizem existia uma figueira enorme, daí o nome, para uns colocada na parte de cima da fonte e para outros na parte lateral por onde se subia a ladeira.

Em dia chuvoso sabe bem estar por casa.


Comemoração do S. Martinho 2012

Como já vem sendo hábito, comemorou-se o S. Martinho com um convívio/magusto na EB 2,3 Prof. Mota Pinto. Devido ao dia de S. Martinho, dia 11 ser ao Domingo, realizou-se na sexta-feira dia 09 de Novembro no último bloco de aulas.

Ao contrário de anos anteriores, desta vez, com umas mesas ao comprido no espaço da escola, até o dia ajudou com o sol a brilhar, foram colocadas as castanhas, os doces e os sumos e em conjunto todos em convívio deu-se largas à alegria na comemoração desta quadra.

Noutros tempos era uma mesa por turma e havia um prémio para a melhor mesa decorada, mas os sinais da crise são evidentes nas famílias e para que não haja descriminação foi a solução encontrada. É pena mas temos que nos ajustar à nova realidade porque era lindo posar-se para a fotografia da escola e vir no jornal com letras garrafais “Esta turma foi a vencedora das mesas de S. Martinho”.

Mas o figurino atual também tem os seus pontos positivos a nível de convívio e solidariedade entre colegas. O que os alunos e pais trouxeram foi colocado em conjunto nas mesas que estavam no recinto da escola para que todos saboreassem sem saber se era da turma x ou da turma y.

Para além das comidas tradicionais de S. Martinho também havia as bebidas de S. Martinho. O ditado popular mais conhecido de S. Martinho diz “pelo S. Martinho vai-se à adega e prova-se o vinho”. É quando o vinho está no auge, no seu paladar e aroma apurado e o Martinho bem no sabia.

Para não fugir à tradição não faltou o vinho novo e a famosa jeropiga levada pelos pais dos alunos que também faziam parte do convívio. Claro que os alunos lá tiveram as suas coca-colas, os sumos e as águas.
Para acabar a escola agradece Pais/Encarregados de Educação que colaboraram nesta Festa/Convívio de S. Martinho. Foi uma festa linda e até o S. Pedro ajudou. Para o ano há mais..


Igreja como ponto de referência.

 

Sábado de outono em Parada de Gonta. A serenidade da paisagem com a igreja como referência a assinalar o entardecer de mais um dia de outono em vésperas de S.Martinho.

No dia 11 de Novembro, dia de S.Martinho, haverá em Parada de Gonta o 34º aniversário da Associação Cultural e Recreativa “Os Amigos” de Parada de Gonta a partir das 16 horas com uma tarde cultural onde consta o Teatro, Magusto e Bolo do 34º aniversário da ACR “os Amigos”. Espera-se uma tarde bem passada para quem aparecer.

Também outra associação, no dia 11 de novembro, a ASSODREC fará uma Assembleia Geral por volta da 10:30h na ex-sede da Junta de Freguesia.


Que raio de crise é esta?

Que raio de crise é esta que nunca mais se vai embora. Quando há uns tempos se falava na crise, dizia-se que é coisa de americanos ou antes são especulações americanas, até porque se julgava que estávamos protegidos por uma europa unida que nunca ia deixar cair os países do seu seio.

Pois é o que se vê, união da europa é só para interesses dos países mandões, porque união na partilha e na interajuda das dificuldades, não é nesta europa do salve-se quem puder. Que digam os Gregos, os Portugueses e até os Espanhóis com a falta de solidariedade existente nos países do Euro.  

Para eles a solidariedade é empobrecer os países acima citados, sempre com mais austeridade, a troco duns euros que depois são pagos em juros a peso de ouro.

Enquanto a crise não se vai embora, cada país a gere à sua maneira e Portugal também a gere conforme os governantes acham segundo as suas opções politicas. Se se concorda ou não com esta forma de gerir a crise, por mim não concordo, porque acho que empobrecer um país e o seu povo para ser competitivo não parece o mais correto.

A melhor forma de curar a doença é evitá-la, prevenindo-se, e não procurar tê-la para depois curá-la. Empobrecer ostensivamente um país para depois ser competitivo para ganhar riqueza, são teorias que nunca foram confirmadas.

Desde os tempos de entrada de Sócrates (2005) no governo que a função pública viu as suas progressões e salários congelados, nem toda a função pública mas pelo menos nos professores foi assim, e já se falava na crise e mais crise e por conseguinte por causa da crise foram degradas e muito as condições dos funcionários públicos.

Como se não bastasse o congelamento dos salários, a degradação das condições de trabalho, a perca de direitos consagrados na constituição da república, veio mais uma medida do governo de Sócrates contra os funcionários públicos, o corte no vencimento de 5 a 10% conforme a situação. Mas a crise continua…afinal tantos cortes para quê?

Depois caiu o governo de Sócrates e a crise continua..pois bem, quem é que vai pagar a crise com o novo governo de Passos Coelho? Fácil de adivinhar! Novamente a classe trabalhadora, que além dos funcionários públicos é também toda a sociedade (privados) com o corte de metade do subsídio de Natal. Ao menos alguma equidade.

Pois bem, achava eu que ía este governo ser diferente do anterior, equidade para todos. Sol de pouca dura, porque as vozes do outro lado são muito fortes, e como a crise continua, vai ter que se cortar novamente e a quem vai calhar a fava? claro novamente nos funcionários públicos. São fáceis de abater e são muito dóceis. Não têm aquelas corporações fortes como do outro lado e os sindicatos que os representam andam perdidos. Agora o corte é completo vai o subsidio de Natal e o subsidio de Férias e mantendo-se o corte dos 7 a 8% do Sócrates, o ano de 2012 vai ser acima de 30% a menos no rendimento. Isto é um roubo.

Mas a crise não fica por aqui…até porque o tribunal constitucional decretou que era inconstitucional os cortes serem só na função pública por razões de equidade. Pois bem, aproveitou o governo também para cortar no privado.

Aumentam-se os impostos, cortam-se nos salários, cortam-se os subsídios, cortam-se os feriados, pagam-se as portagens e taxas moderadoras, aumenta o desemprego e o deficit não baixa!. Para onde vai o dinheiro? Que raios de contas fazem estes governantes?

Mas mais ainda, são precisos mais cortes e agora vem a troika ensinar ao governo português onde se pode cortar 4 mil milhões nas despesas. Como se eles fossem uns anjinhos e não soubessem onde cortar.Pois já se sabe e não é preciso ser advinho. São sempre os mesmos a levar a porretada. 

A crise veio e não se quer ir embora…para muitos é má mas para alguns até é boa.

Os mandões continuam na boa e o bolo não é tão repartido…


Natalidade..para onde caminhas?

 

Parece que só agora se desperta (comunicação social) para a falta de natalidade em Portugal e para as suas consequências a nível de segurança social e até a nível de independência do país.

Depois do erros cometidos até agora pelos nossos governantes que fomentaram a saída dos jovens para irem trabalhar para fora do país, porque aqui, em Portugal, não eram precisos devido à falta de empregos, só se espera que este despertar dos fazedores de opinião na comunicação social não seja para mais uma vez passar uma esponja e desviar a atenção daqueles que pedem e exigem que os nossos governantes sejam responsabilizados e julgados pelo mal que fizeram ao país.

Continua-se a empobrecer o país ostensivamente para cumprir umas metas dum deficit, com consequências danosas para o país, fazendo sofrer o seu povo com a falta de trabalho, fechando as fábricas, restaurantes, lojas e tudo que produz emprego. O país está triste, stressado, desmotivado e com falta de confiança no futuro.

Como consequência da degradação do emprego ou por falta dele, os nossos jovens recém- formados vão desenvolver e produzir riqueza fora do país, vão ter os seus filhos lá fora e criá-los com identidade e raiz diferente da sua e que para grande mágoa dos seus avós que cá dentro rezam poder um dia também participar e fazer parte da vida dos netos. É também a degradação dos valores familiares que assim deixam de existir como família presente nos melhores e piores momentos das várias fases da vida.

Neste país ficam os velhos, muitos políticos e outros menos capazes.

Só que a cambada que fica não vai suportar as prestações sociais dos mais idosos e até o país pode entrar em colapso por falta de sustentabilidade.

Mas quem não sabia disto?


ADRC Parada de Gonta - Mortágua Futebol Clube

Os jovens Paradenses nada puderam fazer para contrariar a superioriade dos jovens da equipa de Mortágua. Pelo que soubemos estes jovens de Mortágua já têm traquejo de vários anos em equipa. Os Paradenses estão a dar os primeiros passos, têm dois jogos com duas derrotas volumosas e por isso não se estranhe estes resultados.

Para a próxima pode ser melhor...

 

ADRC PARADA DE GONTA 0 - MORTÁGUA FUTEBOL CLUBE 19


Festa do dia de todos-os-santos.


Imagem do cemitério de Parada de Gonta.



Impressionante a imagem do estacionamento de carros na Avenida em frente ao cemitério  de Parada de Gonta.


 


É no dia 1 de Novembro de cada ano, feriado nacional, que se festeja a festa do dia de todos-os-santos.


É também um dos feriados que desaparece por sugestão do governo e apoio dos padres da igreja portuguesa.


Foi sempre um dia especial para a familias visitarem os seus entes queridos e participar na procissão da festa em memória dos defuntos com visita ao cemitério.


As ruas de Parada de Gonta e ao longo de toda a Avenida desde a entrada até à igreja completamente cheias de carros estacionados de ambos os lados.


São centenas e centenas de pessoas que vêm neste dia visitar os seus entes queridos.


Como pode a igreja portuguesa ter patuado com o fim deste feriado? É ignorar os sentimentos das familias e desprezar os seus valores familiares. O dia chegará em que se terão arrependido mas pode ser tarde.


Acabando o feriado acaba toda a envolvência da celebração deste dia.


 


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.