Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto. Arte e Educação de mãos dadas!. Dizer o que me vai na alma: É sentir o que me rodeia! email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto. Arte e Educação de mãos dadas!. Dizer o que me vai na alma: É sentir o que me rodeia! email: ag_silva@hotmail.com

Nos Jogos Desportivos de Tondela

 

Logo pela manhã, dirigi-me com o meu amigo Quim (Carrimal), no meu carro, ao pavilhão de Tondela para participar nos jogos desportivos na modalidade Ténis de Mesa,e  fazendo parte da equipa da ADRC de Parada de Gonta. Eram talvez centenas de praticantes. Bem mesmo com esta barriguinha e o segundo mais idoso dos praticantes, só batido pelo meu amigo Quim na idade embora sejamos do mesmo ano, fui à terceira ronda e fui batido por um muito mais novo que por sua vez foi batido só pelo campeão. Na imagem o meu amigo Quim na primeira ronda em pleno jogo que viria a ganhar. Foi derrotado na segunda ronda.

Árvores Premiadas: Carvalha e Sobreiro

 

 

Fotos das árvores premiadas no concurso de Árvores do Agrupamento Escolas de Tondela Cândido Figueiredo. O Sobreiro de Parada de Gonta e a Carvalha de Figueiró-S.Cipriano foram das dez árvores mais votadas no concurso. Vão ter direito a exposição nos sitios públicos de Tondela. Este concurso foi uma forma de alertar através da escola, alunos, professores, funcionários, comunidade educativa e todos os cidadãos para a preservação da árvore e todos os problemas associados que poderão surgir

Hoje é Dia da Espiga

 

O Dia da espiga ou Quinta-feira da espiga é uma celebração portuguesa que ocorre no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso.

Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga:

- Espiga – pão;

- Malmequer – ouro e prata;

- Papoila – amor e vida;

- Oliveira – azeite e paz; luz;

- Videira – vinho e alegria e

. Alecrim – saúde e força.

A Quinta-feira da Espiga é uma festa portuguesa no dia da Quinta-Feira da Ascensão. A celebração ocorre 40 dias após a Páscoa. Em vários municípios de Portugal a Quinta-feira da Espiga é um feriado municipal.

A Quinta-feira da Espiga é feriado municipal nos municípios portugueses seguintes:
Alcanena, Alenquer, Almeirim, Alter do Chão, Alvito, Anadia, Ansião, Arraiolos, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Beja, Benavente, Cartaxo, Castro Verde, Chamusca, Estremoz, Golegã, Loulé, Mafra, Marinha Grande, Mealhada, Melgaço, Monchique, Mortágua, Oliveira do Bairro, Quarteira, Salvaterra de Magos, Santa Comba Dão, Sobral de Monte Agraço, Torres Novas, Vidigueira, Vila Franca de Xira.

Países onde a Quinta-feira da Ascensão é feriado oficial são Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Luxemburgo, os Países Baixos, Noruega, Suécia e a Suíça.

Fonte: Wikipédia

A escola voltou à normalidade.

 

Depois desta semana de exames (provas finais de ciclo), no dia 19 de maio, à disciplina de Português do 4º e 6º ano, e ontem, dia 21 de maio, à disciplina de matemática do 4º e 6º ano, parece tudo voltar à normalidade.

Parece, como quem diz, porque se perguntarmos aos alunos visados, que eles devem continuar a trabalhar, que o ano ainda não acabou, eles encolhem os ombros  tipo “deixa lá” como se tivessem dispendido todas as energias nestes exames. Agora é deixar caminhar e esperar pelo que vier.

As provas finais de ciclo do 4º e 6º ano, nome correto, embora na mente de qualquer encarregado de educação, assim como dos seus educandos, sejam exames, foi para os alunos como o terminar de ano.

E para complementar o que se disse “dispensa de classificadores de exames” embora seja de toda a justiça, que os classificadores até deveriam ter mais dias de dispensa, só que as escolas, que vão ficar sem estes professores de Português e Matemática, e em certos agrupamentos são dezenas, como é que vão ter professores para lecionar nestas disciplinas aos alunos?

Opinião de muitos, ou simplesmente uma opinião, porque não encerram as escolas uma semana nesta altura do ano, meados de maio, para todos os alunos fazerem as provas finais de ciclo,  1ºCiclo, 2º Ciclo e 3º Ciclo, e depois se alongaria o ano letivo mais uma semana?

É que a ideia dos alunos terem aulas para recuperar os atrasos que se verifiquem nos exames é um principio encorajador e deve-se manter.

Assim, acabava-se com esta balbúrdia, de uns estar a fazer os exames e outros estar a estorvar. Para alunos, professores e pais/EE seria menos stressante.

Provas de Matemática:

Matemática, 4º ano: Caderno 1 Caderno 2; Matemática, 6º ano: Caderno 1 /Caderno 2.

Critérios de classificação:

Matemática 62 | Prova [Caderno 1 - Caderno 2 ] - Critérios de classificação  - Critérios adaptados  

Matemática 42 | Prova [Caderno 1 - Caderno 2 ] - Critérios de classificação  - Critérios adaptados

 

Faz de conta que é "escola".

Foram duzentas e vinte mil crianças (220.000), repartidas entre o 1º ciclo e o 2º ciclo do ensino básico, que fizeram as provas nacionais finais de Português, em pleno mês de maio, e durante o decorrer do ano letivo.

Fácil é ver, que a maioria dos professores não vê com bons olhos estas provas, que se realizam durante o decorrer do ano letivo. São programas, que ainda não foram cumpridos, e matérias que não vão ser dadas, porque dizem alguns que o ano acaba aqui para estes alunos e são também perturbações no normal funcionamento de uma escola.

Quem estivesse atento, hoje, a uma escola que tivesse exames do 4º e 6º ano, e que tivesse os outros anos a ter aulas, verificaria que estas eram diferentes do habitual.

Os alunos pareciam autómatos de tantas imposições /obrigações que tinham que cumprir e de tão vigiados que estavam para não fazerem qualquer tipo de barulho, que a escola mais parecia uma fábrica de treinamento.

As aulas eram um faz de conta, porque como diz uma professora, dar os lusíadas sem entoação, tem a mesma beleza que tocar violino num funeral. Outra também dizia, que mais valia colocar-lhe fita-cola na boca, porque a sua forma de ensinar não era em silêncio, mas com a voz que lhe vem da alma.

Pois bem, a maioria das escolas estiveram abertas aos alunos dos anos que não fizeram prova, mas não cumpriram a sua missão educativa para com eles, funcionando como um entretém, diga-se antes como um armazém de jovens, enquanto outros, os que faziam os exames nacionais, mereciam e exigia-se que fossem mais respeitados.

Se querem levar estes exames a sério, têm que os respeitar, assim como aos alunos que os fazem. Exames e aulas nos mesmos espaços não são uma simbiose perfeita. Uns requerem silêncio e concentração e outros trabalho e alegria.

Quanto à prova segundo os alunos parece ter sido acessível mas..

Obs:

Para acederem às provas de Português dos 4.º e 6.º anos, assim como aos critérios de classificação, cliquem nos links abaixo:
Português 41: Prova [Caderno 1 - Caderno 2 ] -Critérios de classificação - Critérios adaptados
Português 61Prova - Critérios de classificação - Critérios adaptados

Os mosqueteiros da malha – parte 2

Inserido nos jogos desportivos de Tondela, a adrc de Parada de Gonta  também vai apresentar a sua equipa nas várias modalidades.

Como o fez antes, novamente convidou os seus mosqueteiros da malha para a 2ª sessão de treinos.

Se na 1ª sessão os treinos decorreram debaixo de uma chuva intensa, desta vez foi com um dia lindo de sol que os mesmos se fizeram.

Treinou-se as novas regras da malha e parece já haver as duplas constituídas para o grande torneio que vai decorrer no dia 29 de junho. Inscritos só nesta modalidade são duas centenas e..por isso o campeão tem que ser muito bom.

Fica a ser o campeão do Concelho de Tondela na modalidade de malha.

Acabadas os treinos entrou-se num convívio de febras assadas aconchegadas com um vinho da região que como todos sabem é do melhor do dão.

Novamente, depois deste convívio fomos até uma associação de Farminhão-Viseu animar a malta daqueles lados.

Jogou-se de tudo mas o mais importante continuam a ser as amizades que se partilharam e o convívio entre amigos.

Foi bom e é bom que se repita.

Ao ridiculo que se chega com os exames do 4º e 6º ano

Nesta  onda de exames  nacionais, nome dado por uns entendidos e provas finais de ciclo nome também dado por outros entendidos, ainda falta falar das equivalências à frequência que são também provas de exame e feitas nesta altura, não se entende a diferença nem é para entender de todo este processo louco cheio de burocracia e procedimentos ridículos.

Quem está fora do ensino não imagina o trabalhão e o dispêndio de energia que se tem para fazer estas provas finais de ciclo para uns e exames nacionais para outros.

Tanto procedimento, tanta reunião só para fazer umas provas. Tanto papel gasto para ler e conhecer todos aqueles procedimentos. É o que se pode chamar um rotundamente RIDICULO. Só os nossos governantes é que se podem deliciar com tantos procedimentos. Não admira, têm todo o ano para criar esta burocracia e quem está nas escolas tem de entendê-los no próprio dia.

Ridículo também é a altura em que se fazem estas provas do 4º ano e do 6º ano, sem chegar ao final do ano letivo dão-se as provas de exame e sem se acabar o período, ou seja, em pleno funcionamento de aulas.

Ridiculo é também quererem manter o normal funcionamento das aulas dos outros anos, sabendo que os professores estarão na maioria requisitados para assistirem a estes exames.

Como estamos na onda dos Mega agrupamentos, os anos de escolaridade vão desde o pré-escolar até ao secundário e um professor pode no mesmo agrupamento ter aulas no 1º ciclo como no 2º ou  no 3º ciclo, e embora os exames sejam do 4º e do 6º ano, a forma como eles são feitos esgotam os recursos de professores de todos os níveis, porque são professores para o secretariado, professores vigilantes, professores coadjuvantes, professores leitores, professores suplentes, o que leva a que sejam recrutados quase todos os professores de um mega e depois para ainda ser mais ridiculo é quererem que os outros anos funcionem, ou seja, que a escola funcione normalmente.

O procedimento é enquanto os do 4º ano fazem exames os outros anos  continuam a ter aulas, o mesmo acontecendo quando o 6º ano faz o exame, e ainda, para agravar a situação é que o 4º ano faz na parte da manhã e o 6º ano da parte de tarde do mesmo dia.

Alguém fora do ensino imagina que nesta organização e dependendo dos casos específicos, que são muitos, existem numa sala 2 professores para 1 aluno. Imagine-se a loucura de salas e professores para estar nestes exames.

Com a falta de auxiliares, os que se reformam ou aqueles que ficam de baixa, não são renovados, e também com a baixa de professores como é que se pode manter uma escola aberta em exames e com aulas normais?

Todo este processo parece-me ridículo e não acredito que os alunos que estão a fazer exame tenham as condições ideais de sossego de forma a não serem perturbados durante o mesmo.

É a loucura servida em bandeja.

Um sorriso para hipocrisia

 

Sorria, não perca este ato tão comum ao comum de todos mortais (ainda não paga imposto).

Sorria, mesmo sem vontade de sorrir, porque essas são as regras de etiqueta para se ser pessoa bem-educada.

Sorria, mesmo quando sabe que o estão a tratar com indiferença.

Sorria, mesmo quando sabe que os parasitas financeiros levam o mundo à falência com o seu egoísmo hipócrita e agora você tem que pagar por eles.

Sorria, mesmo quando vê esses usurpadores das empresas serem despedidos só para levarem os milhões de indemnização e você que nem quer ser despedido, é despedido, e não leva nada.

Sorria, mesmo quando o primeiro-ministro, Passo Coelho, diz que nada será como dantes, e você nem sabia o que era o dantes, porque sempre lhe mandaram apertar o cinto.

Sorria, mesmo quando ouve o governo dizer que a crise está a acabar, porque sabe que isso não é verdade, sempre cá esteve e vai continuar a estar.

Sorria, mesmo quando lhe dizem que Portugal é um país independente, mas sabe que não é verdade, quem manda é a troika e vai continuar a mandar.

Sorria, mesmo que lhe digam que a troika são de países amigos e estiveram cá para ajudar, em troco de uns simples juros, que convertidos dão uns troquitos de milhões de euros.

Sorria, mesmo que lhe digam que tivemos uma saída limpa, mas os cortes nos salários e pensões são imorais e sujos e vão continuar.

Sorriam todos os funcionários públicos, pensionistas e reformados, porque está para vir nova reunião de conselho de ministros e todos sabemos onde vão cortar.

Sorriam, mesmo sem vontade de rir, até dá para sorrir, porque não existe maior tristeza, que aqueles que não sabem sorrir.

Adquira o comprimido do sorriso porque sorrir até faz bem à saúde.

Por Aveiro com o Grupo Azeitonas

 

 

 

Foi uma tarde/noite diferente..soube-se que o grupo Azeitonas estava em Aveiro, fez-se uns contatos e junto com uns amigos lá fomos a caminho de Aveiro. Depois de uma jantarada em pleno convivio dirigimo-nos para o local onde o conjunto atuaria e passamos uma noite diferente no parque ao som do grupo Azeitonas.

Domingo..e a 13ª tela oferecida

 

(Carregar na imagem para ver as pinturas e desenhos)

 

Domingo por casa, altura ideal para atualizar as pinturas e desenhos que venho proporcionando a quem gosta destas coisas. A atualização consistiu na colocação no slide "telas oferecidas" a pintura sobre o Rosto de Cristo que foi oferecida ao meu amigo e colega de trabalho e de  escola o professor António Marques de sabugosa. Só há uma condição na oferta, se por acaso precisar delas para uma mostra, terão que cedê-las. Fora disto é tratarem-nas bem, ou seja, não as deixem estragar.

Foi a 13ª pintura oferecida a amigos como o mostro na figura do post.

Nestas coisas há aqueles que gostam e aqueles que não gostam mas a obra quando nasce é para todos mesmo para aqueles que desdenham. Criticas e elogios são constantes como de politica se tratasse. Não existe um gosto comum e o que para uns é belo para outros é feio. Mas a arte é assim mesmo e para apreciá-la é preciso um estado de alma que só alguns conseguem.

Por isso eu digo, Arte sem Arte é uma outra forma de Arte.

Que o digam aqueles que o sentem..

ESTRUTURAS - Ed. Tecnológica

(carregar na imagem)

Trabalho em powerpoint sobre "ESTRUTURAS" para a disciplina de Educação Tecnológica do 6º ano. É mais uma das unidades temáticas/didáticas/UT  ou até conteúdos (como lhe queiram chamar) que pertence à dimensão PROJETO. Este ppt está de acordo com os livros de Educação Tecnológica e baseia-se um pouco em cada um. Serve para complementar qualquer um dos livros adotados.

Nota: Algumas funções como as animações só funcionam em PowerPoint.

Bênção de Finalistas Univ. de Aveiro 2014

 

Foi um dia especial..

Dia 4 de maio, o primeiro domingo de maio mais conhecido por dia da mãe, foi o dia escolhido para a bênção dos finalistas da Universidade de Aveiro presidido pelo Bispo D. Carlos Ximenes Belo, também conhecido pelo Bispo de Timor e prémio Nobel da Paz.

Logo pela manhã, eu filho e esposa, dirigimo-nos de Parada de Gonta para a Universidade de Aveiro. A Benção dos finalistas estava marcada para as 9.30h e debaixo de um sol abrasador decorreu a cerimónia até às 13.30h. Foi linda e quem não a esquecerá será o filho.

Depois dirigimo-nos para o restaurante cerca de 20 pessoas convidadas  dos dois amigos finalistas e aí sim é que foi festa. Foi um repasto divinal compartilhado entre todos com muita e boa disposição.

Para mim um dia cansativo para o filho um dia marcante.

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pág. 1/2