Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Ceia da Páscoa de amigos paradenses

 

P3280065.JPG

Ceia da Páscoa do Grupo Amigos Paradenses.

Um grupo de amigos Paradenses comemorou, neste sábado dia 28 de março,  a quadra Pascal com a realização da Ceia de Páscoa em casa do Lino leal. A Páscoa, tal como o Natal, tem na sua génese a união entre famílias, o convívio, a partilha, a amizade e aproveitando a vinda de alguns paradenses, que se encontram a passar a Páscoa em Parada de Gonta com as suas famílias, realizou-se a Ceia da Páscoa em honra desses amigos que nos visitam. Neste convívio tivemos como grande atração o nosso grande amigo e conterrâneo Gilberto Amaral. O Gilberto Amaral brindou os seus amigos nesta Ceia da Páscoa com canções musicadas por si mas feitas com poemas de poetas paradenses. Foi lindo o que se passou e este grupo de amigos nunca mais esquecerá uma festa assim. As vozes ficaram frouxas de tanto puxar por elas durante grande parte da noite.

Com o regresso de alguns paradenses que labutam fora de Portugal, a Ceia da Páscoa deste grupo de amigos é um meio de convívio para que os emigrantes e os paradenses residentes  partilhem as suas vivências.

É com os paradenses emigrantes que nos visitam por estas alturas, que os convívios como este se tornam mais animados e é também uma forma de comemorar o seu regresso a Portugal. Apesar das contrariedades por que passam, não esquecer que alguns estão separados das famílias, não esquecem as suas origens e fazem questão de estar presentes nestes convívios da Ceia de Páscoa que todos anos se realizam na nossa terra. São amizades que embora longe perduram nos seus corações e que nos orgulham de ser o valor principal como princípio orientador deste grupo de amigos paradenses.

Os paradenses residentes bem sabem, que a vida de cada um tem os seus encantos e desencantos, e por vezes  é difícil parar, olhar para os outros, de tão atarefada que a vida é, que não nos deixa tempo para estar com os amigos. Somos de Parada de Gonta e muitas vezes só nos encontramos nestes convívios. Os afazeres de cada um não deixam também margem para se encontrarem e simplesmente conversar.

É o que acontece nestes encontros, simplesmente amigos que partilham a sua amizade num jantar, a conversar e conviver, o que  muito nos orgulha, de sermos assim. Somos paradenses.

Esta Ceia da Páscoa foi realizada em casa do Lino leal em Parada de Gonta com um arroz de míscaros e carnes grelhadas acompanhadas dum bom néctar da terra. Foi uma festa em grande.

Os Paradenses desejam a todos uma Feliz Páscoa.

VÍDEO


Em nome da educação deixem a escola em paz e reflitam na melhor solução.

  BISBILHOTEIRO.jpg

A bisbilhotice semanal vai para a mexeriquice desta semana, "na área de influência da minha escola", sobre a descentralização de competências na educação ou entre aspas “Municipalização”.

Chamem-lhe o que quiserem mas as crispações entre concorrentes ou entre as diferentes fações não podem só cair sobre a escola e os atores quem nela moram.

Este novo enquadramento da educação/escola com o conceito Municipalização não é só da escola mas de toda a sociedade, e principalmente das pessoas do concelho onde a escola está inserida. Que a decisão, quando esta for tomada, seja de todos, para que mais tarde a culpa não seja só da escola e dos seus atores.

A escola precisa de paz, paz para repensar o seu papel, paz para poder responder às múltiplas solicitações da sociedade, paz para cumprir a sua missão que é ensinar e precisa tanto de paz como de pão para a boca, porque tem sido nos últimos anos e pelos sucessivos governos (ME) muito maltratada.

Nos últimos anos a paz passou ao lado da escola. Foi o fecho de muitas escolas, foi a criação dos megas agrupamentos, foi o despedimento de muitos professores e funcionários, foi o aumento das horas de trabalho aos seus atores, foi o aumento de alunos por turma, foi o aumento da burocracia com legislação que é feita a granel, no geral, foi o agravamento das condições sociais e de vida dos atores da escola que deram origem a esta “guerra” que nunca mais acaba.

Quando tudo parecia que a paz estaria a chegar, eis que surge a proposta de descentralização de competências que veio contribuir para que a escola entre novamente em alvoroço.

Pois muitas têm sido as discussões entre os vários intervenientes, por vezes crispadas, com artigos nos jornais, blogs, rádios e em várias páginas do facebook.

Muitas têm sido as discussões em torno do tema mas poucas ou nenhumas soluções até agora. Em nada tem contribuído esta crispação, entre as partes envolvidas, para a discussão/reflexão da proposta de descentralização na educação em forma de projeto piloto. Não é com os argumentos como os até agora esgrimidos, que se vai contribuir para o debate, que se exige com elevação, e que dê origem à apresentação de soluções, que melhor sirvam a escola e os seus atores. É um dever que temos para com os nossos filhos, porque são eles no futuro que  apanham com as nossas decisões de agora.

A decisão requer uma reflexão entre as várias partes porque estamos numa fase em que urge uma discussão séria e com elevação, de forma a se conseguir a melhor solução, que sirva os interesses da educação, da escola, dos alunos, de toda a comunidade educativa e do município.

Em nome da educação deixem a escola em paz e reflitam na melhor solução.

Bisbilhotice semanal


Jogos Desportivos e Comemoração do Dia do Pai pela Assodrec

Jogos desportivos.jpg

Fim-de-semana em pleno na aldeia de Tomás Ribeiro.

Parada de Gonta foi palco no sábado da apresentação dos jogos desportivos do concelho de Tondela e no Domingo na comemoração do Dia do Pai com um almoço organizado pela Assodrec.

No sábado com a presença do presidente da Camara Municipal de Tondela, Dr. José António, o Vice-presidente Dr. Miguel e vereação do município, o presidente da junta de freguesia de Parada de Gonta, Sr. Luís Fernando e membros da assembleia de freguesia, os representantes das associações do concelho de Tondela, tendo como orador prof. Carlos Alberto, foi feita a apresentação dos jogos desportivos de Tondela perante cerca de uma centena de pessoas em representação das suas associações.

Depois da apresentação e de um pequeno repasto os convidados tiveram o privilégio de assistir à atuação do Grupo de Cantares Tomás Ribeiro que abrilhantaram o final da festa com o seu reportório de músicas.Dia do Pai 2015.jpg

No Domingo o salão multiusos de Parada de Gonta encheu completamente para comemorar com um almoço organizado pela Assodrec o dia do pai.

Nesta comemoração o nosso conterrâneo Gilberto Amaral brindou e animou todos os presentes com canções do seu excelente reportório.

Fica aqui o registo em vídeo da canção dedicada ao Dia do Pai.

Foi um domingo em cheio e até às tantas porque a festa não acabou aqui..

Nos temperos Nómadas, restaurante na estação de Parada de Gonta, foi o final do fim de semana em cheio.

 

Vídeo da Canção dedicada ao Dia do Pai por Gilberto Amaral


Troika, para que te quero!.

BISBILHOTEIRO.jpgTroika.JPG

Não é preciso procurar muito para se arranjar assunto para bisbilhotar e fazer bisbilhotice. Sim, é tão ridículo que nem a comunicação social quer fazer realce.

Vamos bisbilhotar sobre certas instituições que se julgam altruístas e na prática não valem nada. Prometem solidariedade mas não a praticam. Prometeram ajuda a Portugal, empobreceram-nos, mas continuam a levar os juros elevados do dinheiro que emprestaram. Falamos do FMI, BE e BCE, da famosa troika que não nos quer deixar. Abriram-lhes as portas, viram o filão que existe no país e agora não o querem deixar.

Esta semana, mais uma vez os senhores da troika deixaram recado, que Portugal tem que continuar a “empobrecer” para poder cumprir os objetivos que eles estipularam. Ora, enquanto cá estiveram as coisas não melhoraram, disseram que se iam embora ao fim dos três anos de austeridade, de empobrecimento e agora continuam a mandar recados. Quem os quer ouvir? Ninguém.

Se é da proximidade das eleições ou não, o governo não lhes tem dado ouvidos, faz muito bem, e esperemos que nunca mais queiram que esses senhores entrem de portas escancaradas, como foi até agora, e comecem de novo a dar conselhos de como se governa um país.

Será preciso puxar muito pela memória para encontrar um país que depois da intervenção desses senhores (troika) tenha melhorado ao ponto de não precisar mais deles.

Se a austeridade fosse nos seus países ou antes na casa deles, talvez esses senhores que pensam que a austeridade é um bem, mudassem de opinião. Se fossem as famílias deles a terem de emigrar, a desagregarem-se e a perder aqueles valores que só uma família unida pode ter como suporte e pilar da sociedade, eles abririam os olhos para saber o que realmente defendem.

Não os deixem entrar…

Bisbilhotice semanal

 

 


Municipalização da educação na má onda.

  BISBILHOTEIRO.jpg

A bisbilhotice semanal vai esta semana para um caso de facto, real, sobre as escolas e a educação e mais especificamente sobre a polémica municipalização na área de influência da minha escola.

Hoje, dia 12 de março, houve uma reunião no agrupamento aetcf com o presidente da camara municipal de (T) e os professores do agrupamento para debater este processo complicado  que na opinião pública tem uma perceção muito desfavorável. Assim, a reunião decorreu após o trabalho de cada um e na sede do agrupamento tendo a diretora do aetcf e o presidente da camara municipal (T) como oradores.

Com uma belíssima apresentação em powerpoint, o presidente da camara municipal deu a conhecer as vantagens da municipalização para este concelho e deu a saber que quase todas as reivindicações feitas pelo município e pelos diretores dos 2 agrupamentos foram atendidas pela tutela, a nível de transferências de competências dos agrupamentos, do município e do ministério.

Com algum entusiasmo, porque sentia-se no presidente da camara municipal (T) que tinha lutado e acreditava que este projeto piloto seria o melhor para o seu concelho, foi dando a conhecer todas as competências que iriam ser transferidas entre os intervenientes, ao ponto de colocar em consideração para debate na assembleia de professores, os ganhos e as perdas, que as escolas e os professores iriam sentir com este projeto.

Apenas houve uma intervenção que nem foi no sentido de ser contra a municipalização como estava a ser apresentada, mas sim uma pequena elucidação, sobre a posição dos professores em assembleia anterior e se ainda era válida para esta. A diretora do aetcf elucidou a professora em causa sobre as razões desta nova reunião e o que se decidisse seria agora conhecido.

Falando por mim, por razões que a consciência me dita, também acho que a nível do país é melhor a educação estar no governo central do que nos municípios, porque nem todos os municípios são iguais, e poderíamos ter no futuro uma educação de 1ª ou de 2ª conforme os municípios.

Mas, depois de ver e ouvir o presidente do município com a sua apresentação e verificando as diferenças entre a 1ª matriz que foi apresentada e a matriz agora apresentada, as diferenças são enormes a favor dos agrupamentos fruto das reivindicações do presidente e dos diretores, e a mim, pareceu-me muito mais vantajosa a nova proposta a favor da municipalização. Até porque o Dec. Lei 30/2015 de 12 de fevereiro, já aprovado, estabelece o regime de delegação de competências nos municípios e entidades intermunicipais no domínio de funções sociais, e as posições contra, deveriam ser tomadas antes, e não agora, depois de aprovada a lei. Não há volta a dar. É uma questão de entrarmos num projeto piloto, por convite,  numa posição vantajosa, ou entrarmos de qualquer maneira e por obrigação.

Como eu, na 1ª matriz fui contra, ouvindo os novos argumentos achei que esta nova matriz seria melhor e julgava que as posições se alterassem se houvesse nova votação.

Voltando atrás e novamente ao momento em que o presidente da camara municipal colocou para debate e para esclarecimento se alguém quisesse, o assunto, ninguém foi capaz de argumentar contra a municipalização.

Entrando-se num impasse, tal era o silêncio dos argumentos, foi questionada ou relembrada a ordem de trabalhos, porque parecia que se iria fazer de seguida a votação com a presença do presidente da camara municipal. Na minha opinião seria o correto, até porque foi dele ( o presidente da camara) a responsabilidade da grande mudança na matriz de competências e seria frente a ele que se deveriam argumentar as posições contrárias.

Pois foi quando o presidente da camara municipal saiu da reunião que surgiram as posições contrárias e todos os males que esta mudança traria.

Caminhou-se para uma votação de dedo no ar se se iria votar já, ou se, se iria reunir entre pares e debater novamente o assunto.

Ganhou a votação para uma votação já.

Ganhou por maioria a votação contra a municipalização.

Bisbilhotice semanal


Documentação para o Concurso 2015/2016

Documentação para o Concurso 2015/2016

Abriu hoje, dia 9 de março e pelo período de 10 dias úteis, até 20 de março, o concurso nacional de professores dos jardins, ensinos básicos e secundários.Vários documentos de apoio ao concurso estão compilados para facilitar a terefa a quem concorre.

DOCUMENTAÇÃO
Retirado do blog do

Manual de Instruções – Candidatura Eletrónica Concurso Interno – Candidato Tipo QZP – 2015

Manual de Instruções – Candidatura Eletrónica Concurso Externo/Contratação Inicial – Candidato Tipo Externo – 2015

Manual de Instruções – Candidatura Eletrónica Concurso Interno – Candidato Tipo QA/QE – 2015

Manual de Instruções – Candidatura Eletrónica Concurso Interno/Externo/Contratação Inicial – Candidato Tipo LSVLD – 2015

Códigos de AE/ENA – para efeitos de manifestação de preferências – 2015

Códigos de AE/ENA – para efeitos de validação – 2015

Declaração de Oposição – 2015

Lista de Estabelecimentos Particulares com contrato de associação – 2008 a 2014, para efeitos da 2ª prioridade do Concurso Externo de Contratação Inicial – 2015

Instituições públicas que relevam para efeitos da 2ª prioridade do concurso de Contratação Inicial – 2015

LEGISLAÇÃO

Declaração de Retificação nº 36/2014 ao DL nº 83-A/2014

Decreto-Lei nº 132/2012, republicado pelo DL nº 83-A/2015, de 23 de maio

Portaria nº 260-A/2014, de 15 de dezembro

Decreto-Lei nº 176/2014, de 12 de dezembro

Com a gentileza do Blog DeAr Lindo


Dia Internacional da Mulher

DIA DA MULHER 2015.JPG

Dia Internacional da Mulher - Pintura s/tela a arilico

Lembrar este dia nunca é demais...A minha homenagem a todas as mulheres do mundo e em especial à minha esposa, à minha sogra e à minha mãe...3 mulheres espetaculares.

A todas sem exceção atrevo-me a deixar umas palavras.

Para elas....

São elas que nos inspiram,

São elas que nos encaminham,

São elas que nos orientam,

São elas que nos guiam.

São elas que nos acalmam,

São elas que nos aconselham,

São elas que nos afagam,

São elas que nos acariciam.

São elas que nos lisonjeiam,

São elas que nos apoiam,

São elas as nossas Mães,

São elas as nossas esposas,

São elas que nos dão a mão.

Por tudo isto e muito mais,

São elas a razão do nosso ser……

Do Agostinho

Ver origem na Wikipédia


Todos são iguais mas..

Passos esquecido.png

E não podia haver outra cena melhor a ganhar o direito a ser comentado no Bisbilhotices Semanal.

E o que poderia ser melhor assunto para o bisbilhotices semanal, bisbilhotar? Sim, sim senhor, este é um assunto que merece realce. Vamos a ele.

Todos pagamos impostos, e todos pagamos os deveres para com a segurança social, e se não pagamos, temos logo à perna as ameaças das coimas agravadas e do tribunal. Todos diz o bisbilhotices, e num país em que todos são iguais perante a lei e todos têm os mesmos direitos, então todos pagam e se não pagam levam com as consequências em cima.

Estas consequências no comum cidadão são muito pesadas e de tal maneira pesadas que o infrator tem muita dificuldade em pagar. Então são penhorados os bens com a agravante dos familiares diretos, se tiverem bens, podem ser atingidos também. São muitos os relatos disto estar a acontecer.

Agora, temos o nosso 1º ministro que não pagou e não foi notificado neste tempo todo. O comum cidadão é logo notificado no 1º dia que falte e coima agravada e se continua a não pagar passa para os tribunais agravando muito mais a pena, chegando, como vimos atrás, a serem penhorados os bens.

Se o nosso 1º não foi notificado, alguma coisa está mal, apetece perguntar em que país é que estamos? Também não pode argumentar que foi esquecimento, porque alguém teria a obrigação de lhe lembrar. Na realidade isto não pode acontecer.

Não pode haver cidadãos de 1ª e cidadãos de 2ª, e continuarmos a dizer que vivemos em democracia, em que todas as pessoas perante a lei são iguais. Iguais num país assim é duvidoso e faz lembrar a citação daqueles que dizem “todos somos iguais mas uns são mais iguais que outros”.

Mais vale assumirmos que somos um país de 3º mundo e que a democracia não passa do papel, porque as diferenças ainda não foram combatidas.

Assim é que é.


Publicadas Portarias que fixam o n.º de vagas por escola/ agrupamento. Cálculo de vagas.

PORTARIA VAGAS.png

(carregar na imagem)

Publicada a PORTARIA N.º 57-C/2015 que fixa o número de vagas a preencher pelo concurso externo, previsto e regulado no Decreto-Lei n.º 83-A/2014 de 23 de maio

São milhares as vagas negativas...
Segundo o Jornal Público vão ser 9.572 vagas a extinguir.

Em 2013 na mesma altura a notícia no Jornal Público ( 12.003 vagas negativas).

O Agrupamento de Escolas de Tondela Cândido Figueiredo em EVT tem 2 vagas negativas (é o meu grupo do meu agrupamento).

No concelho de Tondela são 48 vagas negativas entre os 2 Agrupamentos:

21 vagas negativas e 2 positivas  no Agrupamento de Escolas Cândido Figueiredo;

27 vagas negativas e 0 positivas no Agrupamento de Escolas Tomas Ribeiro.

Importa aqui fazer um esclarecimento...

Todos devem concorrer mesmo para as escolas / agrupamentos com vagas negativas. A vaga negativa não é obrigatoriamente sinal de extinção de vaga.

Dando um exemplo e cito o posst de há 2 anos:

Um dos grupos mais devastado nestes 2 últimos anos é o 240, foi extinto embora continue para concurso a 2 disciplinas, ET e EV, e vamos supor que numa escola tem 10 professores saindo na portaria n.º 57-C/2015 com  vagas negativas -7.

Umas das coisas a esclarecer é que estas 7 vagas negativas não se extinguem tendo lá os professores, mas sim, se algum destes concorrer e apanhar vaga noutra escola a vaga que deixa extingue-se, ninguém entra para essa vaga apesar do professor ter saído.

Voltando ao exemplo anterior com 10 professores e -7 na portaria, tem-se que, quando o ME pede o número de vagas à escola, pede estas vagas com 22 horas letivas e basta fazer as contas às turmas que se tem para saber os professores que são precisos em cada grupo, faltando preencher uma série de requisitos que a escola precisa, nomeadamente, direções de turma e reduções da compenente letiva, mas que não são considerados nestes pedidos de horários.

Se verificarem nas listas que os agrupamentos estão a disponibilizar para consulta dos professores e no caso acima referido, o grupo 240, acontece com quase todos os grupos, tem nos primeiros lugares pessoas que só tem 14 horas letivas e estão a um passo da reforma.

Presumo  que o que foi dado ao ministério da educação foram 66 horas disponíveis para atribuição de horários e o ME dividiu essas 66 horas por 22 dando 3 horários. Supondo e normalmente é o que acontece, é que,  como os 3 primeiros professores têm 14 horas letivas, 14 x 3=42, sobram 24 das 66 horas. É preciso ainda atribuir horas de direção de turma, e cada um destes pode ainda ter uma turma que equivale a 1 ou 2 horas da componente letiva.

Assim temos mais 3 ou 6 horas a crescentar às 24 sobrantes das reduções, 24 + 6 horas da direção de turma, dos 3 primeiros professores e que dá 30 horas. Imagine-se que o 4º professor também só tem 14 horas, sobram mais 16+2 horas se este também vier a ter uma direção de turma.  

Assim ficamos com 4 horários e mais 18 horas o que equivale a 5 horários. Ainda é preciso professores para outros cargos e apoios na escola. Quer isto dizer que, dos 3 horários iniciais podemos ter 5 e ainda mais umas horas.

Daqui a 2 ou 3 anos muitos se reformam ou pedem rescisões amigáveis se as houver e com a colocação noutras escolas de mais alguns todos acabam por caber no sistema.

Embora possam ser um pouco exageradas estas são as contas que se devem fazer  para a previsão de vagas numa escola / agrupamento e não se esqueçam que todos devem concorrer mesmo para escolas com vagas negativas.


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.