Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto no que me rodeia! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é uma nova forma de Arte!. email: ag_silva@hotmail.com

O amarelo na educação

  BISBILHOTEIRO.jpg

A Bisbilhotada semanal vai direitinha para a cor amarela, pela conotação que lhe está a ser atribuida, na utilização e disputa entre quem a elegeu como a cor do protesto.

O amarelo é a cor da moda, é a cor do protesto, foi a cor dos professores de EVT no seu protesto, é a cor atualmente utilizada pelos colégios com contrato de associação em protesto com o estado. A cor amarela inundou este fim-de-semana as ruas de Lisboa e a praça em frente à assembleia da república. A razão desta onda amarela é a defesa dos seus interesses como colégios subsidiados pelo estado em protesto contra as medidas anunciadas pelo atual governo, nomeadamente, o ministério da educação, da não manutenção do financiamento a estes colégios.

A cor amarela, ou como lhe chamam o amarelo, no masculino, é utilizado nos símbolos e sinais como uma cor de precaução dando como exemplos, avisos de perigo, atenção ou sinalização de zonas de risco. O amarelo é também uma das três cores-pigmento primárias e umas das três cores-luz secundárias.

Está associada ao significado na cor amarela a luz, calor, descontração, otimismo e alegria. O amarelo simboliza o sol, o verão, a prosperidade e a felicidade. É uma cor inspiradora e que desperta a criatividade. Estimula as atividades mentais e o raciocínio.

O amarelo foi também a cor de protesto dos professores de Educação Visual e Tecnológica contra o ministério da educação na altura, pela mudança de paradigma desta disciplina e a sua divisão em Educação Tecnológica e Educação Visual e apesar de todos lhes darem razão, sociedade civil, sindicatos e a maioria dos partidos politicos, a verdade é que a reposição da legalidade nunca mais foi feita.

O amarelo é atualmente a cor de protesto dos colégios com contratos de associação com o estado, é a cor de protesto das crianças e criancinhas vestidas de amarelo com cartazes amarelos também, é a cor de protesto dos patrões dessas escolas com os pais dos alunos dessas escolas, é a cor de protesto de alguns partidos como o PSD e CDS que perfilham da ideia do financiamento do estado ao privado, de manter as gorduras do estado, do desperdicio de recursos públicos a favor do privado, da liberdade escolha só para alguns, de manter as rendas milionárias a escolas privadas, quando as escolas públicas ao lado definham.

Se a força do amarelo associado aos protestos dos colégios com contratos de associação for superior à força da razão, então o amarelo terá também como significado a cor do dinheiro.

 

Bisbilhotada semanal.


Comunhão do Rafael

20160529_142347_resized.jpg

Comunhão do sobrinho Rafael com almoço no restaurante Ponte de Pedra em Entre-os-Rios. Filho do meu irmão Joaquim Carlos, o Rafael fez a 1ª comunhão e comemorou-a com toda a familia. Foi um Domingo bem  passado junto da familia de Penafiel. A almoço estava excelente e o convivio também. Ficam algumas fotos para recordar.

 

 


Passadeiras de Flores em Vouzela 2016

PASSADEIRAS VOUZELA (55).jpg

Hoje, dia do Corpo de Deus, feriado nacional, fomos, eu e a minha mulher, até Vouzela apreciar as lindas passadeiras de flores que os habitantes daquela vila todos os anos fazem. Quando podemos vamos sempre ver a beleza destas passadeiras de flores feitas pelos habitantes para a procissão do Corpo de Deus que se realiza todos os anos.

Por onde passa a procissão, os moradores estão incumbidos de fazer na sua zona as passadeiras de flores  que se estendem por largas dezenas de metros ao longo da Vila e sempre unida sem qualquer interrupção.

Cada zona com os seus moradores têm à sua mercê a criatividade e originalidade na apresentação da sua parte e chegam a arranjar flores guardando-as dum ano para o outro, congelando-as, para poderem estar frescas nesta altura do Corpo de Deus. É das coisas mais belas que se fazem neste país e é um gosto que nós todos os anos temos ao ir ver esta magnifica passadeira de flores, cheia de cores.

Não esquecer para quem gosta dum bom manjar que é a terra da Vitela de Lafões.


Tomada de posse dos orgãos sociais Assodrec para o quadriénio 2016/17/18/19

Eleição Assodrec 2.jpg

Eleição Assodrec 1.jpg

ASSODREC

Hoje, dia 25 de maio de 2016, pelas 19 horas tomaram posse os novos órgãos sociais da ASSODREC em cerimónia realizada no edificio da ex-sede da Junta de Freguesia de Parada de Gonta, atuais intalações da ASSODREC.

Depois da tomada de posse dos elementos que compõem os órgãos sociais da Assodrec (Associação de Solidariedade Social), fez-se uma confraternização na padaria do Tó Russo ou padaria Riso de Esperança de Parada de Gonta, entre todos os elementos.

A nova direção compromete-se a manter o mesmo serviço de qualidade prestado até agora e tem em vista a continuação da manutenção dos acordos com a CMT e junta de freguesia nas requalificações e também a construção da mesma sede. Aqui fica a lista dos novos órgãos sociais para o quadriénio de 2016/2017/2018/2019.

--------------------------------Assembleia Geral------------------------------

Presidente: Carlos Alberto Cardoso Henriques­­­­­­­­­­­­­­­­­­________________

Primeiro secretário: Maria de Fátima Ferreira Figueiredo_________

Segundo secretário: Lino Augusto oliveira leal________________

----------------------------------Direção---------------------------------------

Presidente: Manuel Luís Amaral Riquito ____________________

Vice-Presidente: Carlos Pereira do Amaral __________________

Secretário: Marco Rafael Marques Santos _________________

Tesoureiro: António Augusto Almeida Amaral_______________

-----------------------------Conselho Fiscal-------------------------------

Presidente: António Rui faria da Cunha ________________

1º Vogal: Agostinho Neves da Silva____________________

2º Vogal: Fernando Rodrigues dos Santos________________ 

Obs: poderá haver alguma correção nos lugares ocupados.


Os convivas das 3ª feiras do aetcf

aetcf.jpg

De 3 em 3 semanas às 3ª feiras a malta da sede do aetcf vai fazendo uns convivios sempre em frente de uma mesa recheada de bons petiscos caseiros.

Cada um mostra as suas habilidades e a coisa vai animando a malta de 3 em 3 semanas às 3º feiras.Refira-se que é a 3ª feira que se consegue mobilizar mais professores para poderem participar neste convívio.

Até agora as coisas têm corrido bem e o/as colegas revelam toda a sua habilidade neste evento confecionando iguarias dum gosto requintado dificil para que alguém possa dizer não.

Estes convivios servem também para descomprimir a malta das porradas que se vai levando, das situações do dia a dia, muitos dificeis de gerir. O apoio partilhado entre todos é uma belissima ajuda.


Encontro de velhos amigos penafidelenses - 2016

amigos 1.jpg

Foi mais um dia especial!..

Depois de 5 anos passados sobre o 1º encontro de velhos amigos penafidelenses, voltaram de novo a encontrarem-se para partilhar a sua amizade num jantar convívio dum restaurante em Penafiel.

Foram os mesmos e mais alguns do 1º encontro e ao todo foram 13 os amigos que compareceram. Foi mais uma noite linda porque depois do repasto, repleto de muito humor sobre as recordações do passado, passeamos pelas ruas do sameiro e da ajuda e acabamos a comer uma muito gostosa francesinha já em plenas primeiras horas da madrugada.

Ficou decidido que seria melhor fazer-mos todos os anos este convívio e assim conviver- mos mais vezes já que é única oportunidade no ano em que podemos estar todos juntos, já que cada um tem a sua própria vida em locais diferentes distantes uns dos outros. Desde a Inglaterra, Lisboa, Viseu, Porto, Marco de Canavezes, Amarante e Penafiel, são as moradas de cada um. 

Até ao ano..


Simulacro na EB Tondela (sede do aetcf))

SIMULACRO (8).JPG

No dia 19 de maio de 2016, pelas 14:45H, realizou-se um simulacro para testar o plano de evacuação da escola sede, e um simulacro de um despiste com 2 vítimas que foi preciso desencarcerar.

O alarme tocou pelas 14:45H e a evacuação fez-se de imediato. Todos os alunos se dirigiram ao ponto de encontro, que se encontra no campo de jogos em fila indiana como está previsto no plano de Prevenção e Emergência.

A duração entre o toque de alarme e a junção de todos os alunos no ponto de encontro foi de cerca de 6 minutos.

Ao toque de alarme de incêndio foi acionado o 112 de chamada para os Bombeiros. Passados 8 minutos do toque de alarme chegaram os bombeiros para fazer o desencarceramento das 2 vítimas do despiste. A primeira vítima foi retirada e colocada na ambulância em cerca de 11 minutos depois do toque de alarme e a segunda vítima foi colocada na ambulância cerca de 19 minutos após o toque de alarme.

Neste simulacro participaram:

Alunos do 2º ciclo cerca de 300

Alunos do 1º ciclo cerca de 290

Total de alunos cerca de 590

 

Professores foram cerca de 40

Funcionários foram cercam 35

Bombeiros 10

1 carro acidentado e 2 feridos


Parceria com o Jornal Online Pingos Online


Curso Geral Proteção Civil em Viseu

ANPC.jpg

Ufa que chegou ao fim!. Tendo começado no dia 13 de maio chegou hoje, dia 18 de maio, ao fim o Curso Geral de Proteção Civil, ministrado pela Proteção Civil em Viseu na Escola Superior de Tecnologia e Gestão com a duração de 25 horas.

Tendo como objetivo a sensibilização dos professores para medidas de autoproteção nas suas escolas, teve também outros módulos como o Suporte Básico de Vida, Riscos Coletivos e Vulnerabilidades, Medidas de Prevenção e Autoproteção, Comportamento Humano em Situações Extremas e Comunicação de Risco.

O curso sendo pós-laboral foi duro e custou até porque os formandos sendo professores faziam-no ao fim do dia, das 17.30h à 22.00h, incluído o sábado a partir das 9.00h até às 19.00h.

Perante um júri onde constava o Comandante Operacional da Proteção Civil de Viseu, o Subcomandante, uma representante da Proteção Civil de Carnaxide e os Formadores, hoje dia 18 de maio foi a conclusão com a apresentação dum projeto sobre uma situação problemática em que cada grupo revelaria como encarava o problema e divulgaria a forma como solucionaria.

Foram apresentados 4 projetos diferentes mas todos eles com o objetivo de solucionar a situação apresentada. Cenas engraçadas até porque cada grupo optou por fazer teatro com mimicas divertidas que eram aplaudidas pelos formandos e pelo júri.

Na avaliação final foi dito pelo júri que todos os grupos tiveram uma apresentação excelente e ficaram surpreendidos com motivação e o empenho deste grupo de formandos.

Pela parte dos formandos todos acharam que foi útil e que valeu a pena o cansaço e tudo farão para que cheguem estas recomendações às suas escolas.

As fotos na página da ANPC

anpc.png

(carregar na imagem)


Escolaridade Obrigatória - Difernciação de Trajetos

20160516_123949_resized.jpg

A Diretora do Agrupamento de Escolas de Tondela Cândido Figueiredo, Drª Helena Gonçalves, na mesa com o Dr. Horácio Lourenço da Escola Artística e Profissional Árvore, Drª Maria Paula Paixão da FPCE/Universidade de Coimbra e José Luis Presa Presidente da mesa e do Conselho Nacional da Educação, constituindo o 2º painel de intervenção no Seminário.

No 1º painel tinham feito a sua intervenção o Dr. Valter Lemos da ESE/Instituto Politécnico de Castelo Branco, o Dr. António Figueiredo da Quaternaire Portugal, Dr. Gonçalo Silva Presidente da Mesa e ainda o Diretor da Escola Secundária Alves Martins Dr. Adelino Azevedo Pinto e o Presidente do Conselho Nacional de Educação Dr. David Justino.

 

Resumo da apresentação da Ex.ma Senhora Diretora, Helena Gonçalves.

Diferenciar trajetos: um desafio

De uma escolaridade obrigatória de 9 anos instituída pela LBSE de 1986, nem sempre efetivada, passou-se, já no séc. XXI para uma escola de 12 anos. Todos entram no ensino regular com 6 anos mas, a partir daí, nem todos se mantêm no ano correspondente à sua idade nem chegam a um destino que se deseja comum. Desta constatação emerge a ideia de que o alargamento e universalização da escolaridade obrigatória aliada a uma LBSE humanista, universal e idealista não significaram a democratização do sucesso escolar, colocando em causa a qualidade e equidade do sistema educativo.

A consciencialização de que a escola, pensada num tempo em que as desigualdades sociais lhe eram exteriores, não está a fazer aprender todos os filhos de uma sociedade portadora de singularidades sociais culturais e económicas, implicou a oferta de novos percursos formativos, visando proporcionar vias alternativas de cumprimento da escolaridade obrigatória. Com uma matriz curricular que suaviza a vertente teórica e se enriquece com uma vertente prática muito ligada ao mundo do trabalho, estes percursos formativos tentam dar uma resposta, a mais adequada possível, às expectativas, talentos e modos de aprender de cada um.

Tal facto, para além de representar a projeção de uma carreira profissional credível, tem vindo a contribuir para uma significativa melhoraria dos indicadores de eficácia do sistema de ensino. Todavia, este cenário positivo ainda não significa que todos adquirem as aprendizagens e competências consideradas essenciais, dado que alguns alunos continuam sem encontrar um rumo na escola.

É neste enquadramento que se aborda a questão de como e quando diferenciar trajetos formativos. Tendo em conta que estão em causa alunos que não se enquadram em modelos rígidos, a resposta a esta questão situa-se algures entre a necessidade de se garantir que todos percorram um certo caminho comum do qual constam as competências que irão precisar (Roldão, 1999) e a necessidade de, o mais precocemente possível, se atalhar o insucesso, julga-se ser mais prudente não se predefinir uma data comum, idealmente aplicável, para diferenciar currículos.

Importa que se identifiquem as causas subjacentes ao insucesso, disciplinares, cognitivas, afetivas e, a partir daí, decidir e construir o percurso e o perfil de formação, valorizando as competências sociais e vocacionais, com vista ao seu sucesso e integração na vida ativa.


Parceria com o Jornal Online PINGOS ONLINE


Formação em Segurança - Viseu

Segurança 1.jpg

Hoje comecei a frequentar uma ação de formação sobre segurança. Vai ser cerca de uma semana muito intensa incluindo o sábado  (amanhã)  todo o dia. Quem diria que eu, rapaz pacato e que não se mete em sarilhos,  estaria interessado numa ação de formação em segurança. Pois é..calhou-me a fava este ano que é ser o responsável da segurança no Agrupamento de Escolas de Tondela Cãndido Figueiredo e assim, surgindo pela primeira vez uma ação destas em Viseu, lá me inscrevi para conhecer melhor a arte da segurança,  para que possa desempenhar da melhor forma o cargo que me foi atribuido. Hoje foi das 17.00h às 22.00h, muito intenso e sobretudo muito útil. Ficou patente nesta ação e que pode salvar uma vida é que nunca se deve olhar para o lado perante uma situação, mas sim agir.

Agir é um verbo que poderia ter como significado "o gesto/ação que  pode salvar"

 


A teta é boa mas é à custa do estado.

  BISBILHOTEIRO.jpg

A bisbilhotada semanal vai para a polémica em torno das escolas com contrato de associação com o estado. O mérito vai para este “lobby” gordinho que gravita à volta destas escolas à custa do estado e para a forma como argumenta os privilégios recebidos transformando-os em direitos adquiridos para servir a causa pública.

Os seus argumentos são ardilosos e convencem muita gente impondo como verdadeiros os seus atos. Quem está dentro não precisa de ser convencido já que está a beneficiar dum privilégio que devia ser igual para todos. 

Nunca estas escolas se consideraram públicas e nos rankings tinham orgulho em ser privadas porque o público era reles, mas agora por magia já são públicas, porque parece que a teta está a secar e assim vêm exigir que são filhos também do estado para terem direito ao seu subsidio “zinho”.

Subsidio “zinho” que dava para piscinas olímpicas e desportos de todo tipo, para terem motoristas e carrinhas próprias a transportarem os seus alunos, e a nível particular para as chefias terem luxuosos gabinetes e carros de alta gama, porque era assim que se gabavam como sendo uns bons gestores dos dinheiros públicos.

A bisbilhotice não é contra o ensino privado que até é um bem necessário, mas contra um privado subsídio-dependente do estado, que não tem razão de existir ao lado das outras escolas públicas que poderiam muito bem ter esses alunos sem custos adicionais. Assim, quem quer o ensino privado e gozar dos privilégios que esse ensino possa dar terá que o pagar do seu bolso e não o bolso dos contribuintes como até agora.

Argumenta este lobby que está por trás dos contratos de associação nas escolas privadas, que a constituição refere a liberdade de escolha para o aluno, atirando assim um argumento que seria válido e justo se houvesse mesmo liberdade de escolha.

A liberdade de escolha é entre iguais e não entre géneros totalmente diferentes. Como se pode comparar escolas que têm piscinas, carrinhas de transporte, ar condicionado, quentinha no inverno e fresquinha no verão, desportos vários e outros recursos materiais de topo com outra que não tem nada disto.

Claro que qualquer aluno quer a escola que lhe oferece melhores condições, levando isto a que haja excesso de alunos nas listas da privada e poderem assim escolher os alunos que querem, deixando os complicados para as escolas públicas. Este é também um argumento para dizerem que não selecionam os alunos e inscreve-se quem quer, só que a entrada é feita ao seu gosto.

As vozes estão encrespadas nos prós e nos contras, a política e os políticos estão ao rubro na defesa do que entendem sobre o que é público e o que é privado, esperemos é que a razão prevaleça para que não haja favorecimentos e privilégios nesta liberdade de escolha.

Para acabar veja-se como começou com o caso do decreto-lei nº 553/80:

Art. 15.º – 1 – O Estado concederá às escolas que celebrem contratos de associação, além dos benefícios fiscais e financeiros gerais, um subsídio por aluno igual ao custo de manutenção e funcionamento por aluno das escolas públicas de nível e grau equivalente.

Parece haver muito mais do que só o subsidio por aluno..

Bisbilhotada Semanal


Apresentação e Vídeo de Higiene e Segurança

hst.jpg

(carregar na imagem para entrar)

Trabalho em powerpoint sobre "ORGANIZAÇÃO,HIGIENE e SEGURANÇA" para a disciplina de Educação Tecnológica do 6º ano. É a última aula teórica do período juntamente com uma abordagem aos utensilios, máquinas e ferramentas. É mais uma das unidades temáticas/didáticas/UT  ou até conteúdos (como lhe queiram chamar) que pertence à dimensão DISCURSO.

Este ppt e vídeo está de acordo com os livros de Educação Tecnológica e baseia-se um pouco em cada um. Serve para complementar qualquer um dos livros adotados.

Nota: Algumas funções como as animações só funcionam em powerpoint.

 


Viagem a Fátima 2016

VIAGEM FÁTIMA (20).jpg

Ontem, dia 08 de maio de 2016 foi a viagem convivio a Fátima, organizada pelos mordomos da Senhora da Saúde de Real/Farminhão. Com uma manhã fria e com chuva demos inicio à viagem. O ponto de encontro foi no largo da  senhora da súde em Real/Farminhão. A viagem até Fátima correu bem e embora o dia da parte de manhã ameaçasse chuva, até se portou bem e as ameaças não passaram disso. Assim visitei o recinto todo desde a igreja nova onde está aquele cristo (polémico/obra de arte) e a igreja antiga onde estão os pastorinhos videntes sepultados.

Por volta das 13 horas foi o almoço num parque e depois a viagem de regresso passando pela barragem da aguieira onde se lanchou. 

Foi um dia que valeu..


75º Convívio do Grupo do Tacho

75 gt (3).jpg

Grupo de pesos pesados. O mínimo de entrada no grupo é de 80 Kg. 

O 75º convívio do Grupo do Tacho, chamado o encontro de maio realizou-se na Padaria Riso D`Esperança em Parada de Gonta.

Neste convívio estiveram presentes só uma dezena de convivas para deglutir um bacalhau à Lagareiro com broa em azeite, especialidade da casa.

Já muito se falou sobre este bacalhau e continuamos a reafirmar como sendo um dos pratos mais bem confecionados que conhecemos.

Poucos foram os convivas que apareceram (10) porque também este mês é o mês do coração e muitos afazeres levam os membros a dispersarem-se por vários sítios.

Mesmo assim foi um repasto animado com os presentes não faltando a boa disposição e algumas promessas se o GD de Tondela ganhasse. Também se colocou a ideia que o GT devia comprar uns cavaquinhos para animar os jantares. Para já uns colocam dúvidas se será boa ideia e outros dizem que sim.

Depois do repasto mais uma vez o Grupo do Tacho fez jus à sua reputação (noites longas) e passamos pelo café alpendre, para ver a vitória do Tondela e brindar à amizade entre os convivas.

Festejou-se até o cansaço se apoderar de alguns e aos poucos foram desaparecendo.

 Além do aconchego do estômago, estes convívios valem pelas amizades que se cimentam entre pessoas que muitas vezes só se encontram nestes convivios,devido aos afazeres intensos que a vida muitas vezes amarga lhes prega.

Até à próxima..


Hoje é Dia da Espiga - 2016

espiga 2.jpg

Logo pela manhã, alguém se lembrou que hoje era o dia da espiga e colheu os elementos que fazem parte do ramo da espiga. Todos os anos se segue o mesmo ritual acabando o ramalhete por ficar atrás da porta durante o ano. É uma tradição que reza a lenda, quem no fizer tem sorte. E como se melhor sorte não houver, pelo menos que seja como aquela que tem sido até aqui.

O Dia da espiga ou Quinta-feira da espiga é uma celebração portuguesa que ocorre no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso.

Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga:

- Espiga – pão;

- Malmequer – ouro e prata;

- Papoila – amor e vida;

- Oliveira – azeite e paz; luz;

- Videira – vinho e alegria e

- Alecrim – saúde e força.

Fonte Vikipédia


Papoila - Pétalas ao vento.

papoila.jpg

Depois do 25 de Abril e depois do 1º de Maio que nos trazem à memória as lutas pela democracia, surge-nos agora a Papoila de pétalas ao vento e letras com palavras que nos gritam os sons da liberdade.

Uma papoila

Crescia, crescia

Grito vermelho

Num campo qualquer

Como ela

Somos livres

Somos livres

De crescer.

Como a papoila somos livres de crescer num campo qualquer.

 Obs: Foto tirada hoje, dia 4 de maio, na estrada Parada de Gonta-Lajeosa do Dão


Comemoração do Dia da Mãe na Assodrec

 

comemoração dia mãe assodrec (3).jpg

comemoração dia mãe assodrec (2).jpg

comemoração dia mãe assodrec (1).jpg

Comemorou-se hoje, dia 1 de Maio, o Dia da Mãe na Assodec, Associação de Solidariedade Social de Parada de Gonta, com um almoço convivio entre os paradenses e com quem quis associar-se à festa. O pavilhão multiusos de Parada de Gonta, estava bem composto mas não totalmente cheio como já se viu em outras alturas. Sabendo-se que estes almoços são em pról da associação e nomeadamente para as obras é um dever de todos os paradenses contribuir.

Foram cantados os parabéns às mães, foi-lhes dado uma pequena lembraça por parte da Assodrec  e foi-lhes desejado em nome de todos um FELIZ DIA DA MÃE.


Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pág. 1/2