Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto. Arte e Educação de mãos dadas!. Dizer o que me vai na alma: É sentir o que me rodeia! email: ag_silva@hotmail.com

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto. Arte e Educação de mãos dadas!. Dizer o que me vai na alma: É sentir o que me rodeia! email: ag_silva@hotmail.com

Escola sem paixão.

A educação e os seus atores estão a precisar de uma injeção de auto estima. A escola parece moribunda depois de uma década e meia a levar porrada dos governantes.

Há década e meia ter a escola como local de trabalho, ou seja, ser funcionário ou professor no ramo da educação era como uma regalia que muitos outros em outras profissões invejavam. Ser funcionário ou ser professor de uma escola pública eram vistos como uns senhores a ver os dias passar e à espera de uma reforma também de meter inveja. Conseguir um lugar de trabalho como funcionário público de uma escola foi na altura muito cobiçado e até muito disputado pelas pessoas à procura de emprego.

Depois desta década e meia de politicas gravosas contra a educação e quando falo na educação falo nos seus atores e nos seus locais de trabalho que são as escolas, e que atualmente, é vista não como uma profissão cobiçada mas sim como uma última oportunidade de emprego, verificando-se até uma debandada de quem lá está.

Isto vem a propósito de vagas que surgem nas escolas, devido a baixas médicas e ou mudanças / requisições de professores para outros serviços e se colocam estas vagas na plataforma da sigrhe, são recusadas e mesmo em contratação de escola raramente são ocupadas.

Como fazendo parte do sistema há quase 4 décadas, já muito disse, também já muito ouvi e também já há muito me apercebi desta crise de auto estima que envolve a educação. Até agora,tudo serviu para culpar as escolas de uma onde negativista que surgiu e colocou a sociedade contra professores e escola. Assim, as escolas deixaram de ser geridas só pelos professores e passaram para as mãos da sociedade. Todos mandam e os professores são o elo mais fraco desta correia que se formou na educação. Os professores perderam a autoridade e os alunos aperceberam-se disso. Os pais foram atrás e responsabilizaram os professores. Foram criadas condições para outra escola que ainda se desconhece.

Muitos foram os colegas que disseram, se me aparecer outra coisa nem olho para trás e é o que tem acontecido na debandada do ensino. Tudo serve desde que seja longe dos “diabitos” sem regras que se pavoneiam na escola. Quanto aos funcionários é só ver a debandada nos pedidos para mudança de emprego. Tudo para fora do ensino e longe dos “diabitos” sem regras.

A verdade é nua e crua como se regista: Escolas com falta de professores e escolas sem assistentes operacionais.

Precisa-se de uma injeção de auto estima capaz de reconstruir a escola e mobilizar todos os atores educativos para que a sociedade a veja como deve ser.

Bisbilhotada da semana.

Sê amigo do Arte. Carrega em Gostar da Página!.

 

Mensagens

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.