Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Simplex ou Complicadex (avaliação de professores)

 

Como bandeira de imagem do governo Socialista de José Sócrates, temos vindo a ser bombardeados pela actual equipa governativa com as medidas já alcançadas para a administração pública  do famoso pacote “Simplex”. Mas então o que se passa na educação?

A meu ver devia ser um bom principio para a Educação/escolas que continuam a ser muito pesadas na sua organização. Não basta aumentar as horas das escolas abertas, o aumento das cargas lectivas dos professores, o prolongamento dos horários dos alunos, as avaliações de professores e ainda afrontá-los em praça pública para que a escola por magia melhore a sua qualidade, as escolas continuam e cada vez mais a serem confrontadas com papeis e mais papeis, para justificar o que é injustificável, numa teia burocrática que mais parece um “Complicadex”. 

São toneladas de papel que se gastam e que podiam muito bem ser evitadas se não fosse a teia burocrática que existe e que precisa de se alimentar.

Já todos se aperceberam das várias vertentes atribuídas aos professores na responsabilidade dum aluno, até pode faltar ou negar-se a participar nas tarefas da escola, que continua a ser avaliado, porque o professor terá que fazer planos e mais planos para as várias situações para que ele possa progredir.

Como se não bastasse, vem agora o decreto regulamentar sobre avaliação dos professores criar ainda mais confusão nas medidas a adoptar. Já não bastam planos e mais planos, porque na avaliação do desempenho dos professores figuram uns parâmetros em que a progressão do aluno está relacionada com a progressão na carreira do professor.

Não são os professores que não querem ser avaliados como se pretende passar para a opinião pública, mas sim a forma como querem que ela seja feita. Não é como dizem que os professores progrediam sem avaliação, porque para que tal acontecesse era preciso frequentar acções em instituições de ensino superior ou outras instituições acreditadas pelo Ministério da Educação, serem aprovados nessas acções e ter os créditos necessários para o efeito. Estas acções não eram no horário normal do professor, mas sim em horário pós-laboral e principalmente ao Sábado. Eram muitas horas a frequentar as tais instituições que parece que ninguém se lembra. Depois ainda era preciso apresentar um relatório crítico do seu desempenho. Se isto não era avaliação então o que era? Andamos a brincar aos cucos.

Mas parece que para se chamar  avaliação dos professores é só o que pretende este Governo e o que se passou até agora foi uma brincadeira. Há 30 anos que os professores não eram avaliados, que grande mentira!

Avaliação como pensa este governo é estar condicionado pela passagem dos alunos. Para a confusão aumentar já não bastava este parâmetro estar contido na avaliação como ter outros em que os colegas se avaliam mesmo de disciplinas diferentes. É o país dos despachos/decretos  e estes até dão qualificações e sabedoria. Por magia decretada através de um decreto regulamentar pode um professor de uma certa disciplina dizer a outro de disciplina diferente, com larga experiência, que não faz “Correcção cientifico -  pedagógica e didáctica da planificação das actividades lectivas” e pode ser prejudicado por isso.

Aqui está outro imbróglio para arranjar instrumentos de registo e medida. Mais papeis. Como se vão fazer? Como se vão observar as aulas dum professor e dizer-lhe que a adequação das estratégias de ensino e aprendizagem aos conteúdos programáticos não estão correctas. Só por magia, porque não existiu qualquer formação, é que pode o professor avaliador ser uma pessoa isenta para poder avaliar o colega.

As escolas estão mergulhadas em papéis e o que realmente devia interessar eram as aprendizagens dos alunos, só que estas estão a ser relevadas para outro plano, porque os professores cada vez têm menos tempo para reflectirem sobre elas e estão cada vez mais preocupados em preencher papeis.

Para as escolas o Simplex... tornou-se um Complicadex.

 

 

 


13 comentários

Comentar post