Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Pintura a acrilico s/tela do Clássico Porto-Benfica

(Carregar na imagem)

 

Foi o clássico mais esperado dos últimos anos entre o Futebol Clube do Porto e Sporting Lisboa e Benfica, tendo como resultado final 2- 1 a favor do Futebol Clube do Porto.

Este clássico jogado a 2 últimas jornadas do fim do campeonato tinha a separar as 2 equipas, até este momento sem derrotas, 4 pontos a favor do Benfica. Se o Benfica ganhasse já podia fazer a festa do campeonato, se empatasse ou o Porto ganhasse, como aconteceu, tem que se esperar pela última jornada para ver quem é campeão visto que neste momento está o Porto à frente do Benfica com mais 1 ponto.

Fica aqui a minha homenagem com uma pintura s/tela em acrilico às 2 melhores equipas portuguesas da atualidade.

Quadro que ficará concluido só no próximo Domingo quando houver certezas. Ou o Porto tricampeão ou o Benfica campeão.

 


Sons do Vento


(carregar na imagem)  Papoila na berma da estrada de Parada de Gonta - Lajeosa do Dão


 


Uma papoila


Crescia, crescia


Grito vermelho


Num campo qualquer


 


Como ela


Somos livres


Somos livres


De crescer.


 


Sons que chegam dum tempo que está para vir. Ser livre e poder crescer onde quiser, mesmo neste país que os manda os jovens viver lá para fora.


Dia da Espiga.

(Carregar na imagem)

Logo pela manhã, alguém se lembrou que hoje era o dia da espiga e colheu os elementos ao longo do caminho de casa até ao trabalho. Todos os anos segue o mesmo ritual acabando o ramalhete por ficar atrás da porta durante o ano. É uma tradição que reza a lenda dá sorte.

O Dia da espiga ou Quinta-feira da espiga é uma celebração portuguesa que ocorre no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso.

Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga:

  • Espiga – pão;
  • Malmequer – ouro e prata;
  • Papoila – amor e vida;
  • Oliveira – azeite e paz; luz;
  • Videira – vinho e alegria e
  • Alecrim – saúde e força.

Fonte Vikipédia


Preocupações duma profissão em extinção.

Somos uma escola da aldeia que por razões de natalidade e outras razões como as politicas economicistas do ME a vão esvaziando até à sua extinção ao sabor dos seus joguinhos de poder.

O certo é que a escola, mais tarde agrupamento e agora ex-agrupamento vai para 25 anos e muitos dos docentes e não docentes que estão ainda no ativo da escola tem no seu percurso de trabalho 1 e 2 dezenas de anos neste estabelecimento. São pessoas que trabalharam, viveram e conviveram sempre juntos, partilharam muitas alegrias e algumas tristezas também, mas prezam-se por ser amigas, com o devido respeito uns pelos outros e até sentem como seus os infortúnios dos outros. É uma camaradagem que se foi cimentando ao longo dos anos e que atualmente, aos poucos, se vai acabando pelos motivos atrás invocados.

Vem isto a propósito de 3 destes professores, colegas e amigos, 1 com 59 anos, outro com 56 e outro com 55 anos, 2 deles sem componente letiva, terem ido ao almoço a um restaurante da região, porque valha-nos deus almoçar na escola tendo como bebida água, ouvir todo aquele barulho dos alunos, estar na fila não compensa o desgaste que é pela diferença de 1€.

Estavam os três colegas a conversar e a recordar os tempos em que vinham muitos professores almoçar e a alegria que era ouvir os contos de cada um.

Como as coisas mudaram! Agora são 3 a ir ao restaurante, alguns poucos trazem marmita e almoçam na sala dos professores porque os tempos já não dão para mais e os 3 que vão de vez em quando ao restaurante, também para desanuviar, em amena conversa até porque estas conversas vão sempre aos tempos em que almoçavam naquele restaurante muitos professores e, quando, bruscamente parou-se a conversa porque alguém disse que para o ano se calhar nenhum dos 3 também iria aquele restaurante.

É verdade, esta profissão de professor é mesmo uma profissão em extinção. Quando concorremos julgávamos que só sairíamos daqui quando nos reformássemos. As nossas preocupações eram só a de sermos bons profissionais e orgulho do que fazíamos. Pois bem, chegou-se a esta idade, muito novos para a reforma e muito velhos para outro emprego e não se sabe o que nos espera. 59, 56 e 55 anos, professores com largos anos de experiência que chegam quase ao fim da carreira e estão na iminência de ficar sem trabalho. Que é que se espera estando 2 sem componente letiva?

Acabam-se as escolas e mandam-se os professores para o desemprego, não só por haver menos alunos mas porque assim os políticos o querem. Estão acabar com a escola pública!.

Os tempos mudaram à feição dos nossos políticos. Foram eles que quiseram um Portugal pobrezinho com gente triste e sem esperança.


Nuno Crato ao seu estilo.


(Carregar na imagem)


Os alunos do 4º ano fizeram exame a nivel nacional a Português. Embora contestado por alguns setores de que os exames para o 4º ano são uma medida pessoal do ministro até porque segundo alguns intelectuais é muito cedo para avaliar capacidades e aprendizagens dos alunos. Os exames realizaram-se e decorreram dentro da normalidade.


Exame do 4º ano a Português

Cerca de 100 mil alunos do 4º ano fizeram esta manhã o exame nacional de Português que regressa assim ao percurso escolar e tem um peso de 25% na nota final. A ansiedade dos alunos era ainda maior por causa das regras que muitos pais não compreendem. O exame é feito noutra escola e com outros professores e as crianças, que no máximo têm 10 anos, foram obrigadas a assinar um termo de responsabilidade em que se comprometem a não usar telemóvel.

Fonte SIC Noticias

Os alunos do ex - Agrupamento Escolas Lajeosa do Dão fizeram a prova na escola ex-sede do agrupamento. Quem se deslocou à ex-sede só foram os alunos do 4º ano do 1º CEB de Parada de Gonta, já que o 1º CEB de Ferreirós e Lajeosa se encontram na EB Prof. Mota Pinto.

Enquanto os alunos do 1º CEB do 4º ano se encontravam a fazer o exame a nível nacional de Português, os alunos do 1º, 2º e 3º anos do 1º CEB e os do  2º e 3º ciclos continuaram com as aulas dentro do possível do normal. Para isso foram mudados os toques da campainha de forma a corresponderem ao intervalo da prova de exame, para que não houvesse perturbação e ruido.

Quanto à prova segundo alguns alunos houve  falta de tempo para realizar todo o teste mas nem lhes pareceu dificil.

Dia 10 de Maio (sexta-feira) será o exame de Matemática nas mesmas condições do exame de Português.

 

Ver aqui a prova e os critérios de classificação

 

Parceria com o Jornal Online As Nossas Vozes 


Vitor Gaspar no seu melhor..


(Carregar na imagem)


 


Vítor Louçã Rabaça Gaspar é um economista, professor universitário e, desde 21 de Junho de 2011, Ministro de Estado e das Finanças do XIX Governo Constitucional de Portugal. Wikipédia 

Obteve o grau de mestre conferido pela Faculdade de Economia da Universidade Nova de Lisboa, em 1985. É doutor em Economia por esta mesma Escola (1988), onde efetuou igualmente a sua agregação (1992).  

 

Apesar do excelente curriculo o ministro das finanças não acerta numa previsão o que leva a crer no fosso entre a teoria (curriculo) e a prática (finanças).

Obs: Não é preciso um curriculo destes para não acertar..qualquer um pode não acertar.

Dilema de Paulo Portas


(carregar na imagem)


 


Numa comunicação ontem ao País, Paulo Portas disse que apesar de não concordar com as medidas de austeridade que tem sido impostas aos portugueses através dos cortes e dos impostos tem que manter a coesão governamental apoiando as medidas que está contra. Resumindo Paulo Portas revelou o seu dilema entre o querer estar no governo mas não concordar com ele.


Fui aos grilos..

 
           ( carregar na imagem)                                ( carregar na imagem)

Hoje fui aos grilos!..

Como é bom recordar...voltar aos tempos de menino. Ouvir e apreciar os sons que a natureza nos fornece é encantador e relaxante. O dia a dia que nos é fornecido de casa-trabalho, trabalho-casa, as preocupações só para manter o trabalho, nem nos deixam apreciar a qualidade de vida que teriamos se parassemos e refletissemos naquilo que a natureza nos fornece.Que bom que seria..

Lindos posts sobre os grilos:

Hoje fui aos grilos 

Sons da natureza 

Grilos e sons da natureza 

Como se apanham grilos? 

 


1º de Maio 2013 - Dia do Trabalhador

Fica a homenagem do Arte por um Canudo ao 1º de Maio, dia do Trabalhador e dia de luta.

Nos atuais tempos de crise, crise politica que resultam duma crise financeira e dando origem a uma crise económica, onde os trabalhadores e as classes mais desfavorecidas é que são principalmente atingidas com as medidas de austeridade que são implementadas para pagar uma crise que não é sua.

Quem provocou a crise são os que estão a lucrar com ela. É como a pescadinha de rabo na boca, tudo volta à origem.

Nesta crise provocada pelo capitalismo através da banca, são eles a tirar os proveitos da própria crise e através duma TROIKA, aproveitam-se duns juros elevadissimos para emprestar dinheiro aos países mais débeis que caíram na desgraça por causa dessa crise.

Assim implantaram as suas medidas aos países que pediram o empréstimo acabando esses países por ficarem dependentes económicamente e até politicamente desses países que  compõe a TROIKA.

A TROIKA é composta por FMI (Americanos), BCE (Alemães) e UE (Alemães e...) que são os donos do mundo, não chegando a crise aos seus países porque alimentam-se dos países mais débeis.

A UE de conluio com eles  diz que a TROIKA são amigos por emprestarem dinheiro aos países em crise, mas assim com juros elevados e ainda por cima dizem como se deve viver ou morrer, para que é que se querem amigos assim?

Faz lembrar os amigos da terra, doutros tempos, que quando viam alguém caír em desgraça emprestavam-lhes dinheiro a juros elevados que raramente se conseguiam amortizar e depois levavam-lhes tudo, acabando a vitima por ficar sem nada. Estes senhores viviam muito bem só com os empréstimos que faziam, eram os ricos da aldeia e depois eram também chamados  os amigos do povo.

Parece-me que a TROIKA não passa duma imitação desses tempos.


Logo (1).jpg

 

Pág. 2/2