Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Placas de Parada de Gonta

parada02.jpg parada01.jpg

 

Não quero ser saudosista! Já em tempos escrevi sobre estas placas. Só quero que seja preservado o património de Parada de Gonta! Tudo bem, dizem, isso é o que fazemos! Eu pergunto? As placas que assinalam Parada de Gonta, será que não fazem parte do património? Vamos então, à sua possível história.
Através dos contos de algumas pessoas mais idosas de Parada de Gonta, porque não existem registos, é assim enquadrada a possível época das placas que são anteriores a esta que está na imagem: Segundo essas pessoas, e algumas com 70 e 80 e mais anos de idade, dizem que as placas com a forma hexagonal (que foram substituídas por estas com a forma de um rectângulo que por sua vez estão a ser substituídas pelas de chapa), sempre se lembram delas e até os seus pais as referenciavam, o que leva a concluir que elas tinham pelo menos um século, e como Parada de Gonta foi elevada a freguesia em 1884, tudo leva a crer que essas placas sejam dessa altura. Possivelmente até Tomás Ribeiro se familiarizou com elas. Estas placas infelizmente desapareceram ou foram inutilizadas e substituídas pelas de forma rectangular há cerca de trinta anos, parecidas com as anteriores o que leva alguns  mais idosos a julgarem ser as mesmas.
 Actualmente, como sabem os Paradenses, existiam duas placas e seguindo a estrada nacional nº 337 (estrada que tem início em Parada), encontrávamos a primeira no início da aldeia e outra à saída da aldeia. Também diz a voz corrente, que estas placas assinalavam o povo, ou seja, o inicio e fim das casas de uma terra, e por isso esta placa que dava inicio a Parada de Gonta, teve como ponto de origem algures perto do cemitério, que era onde começava a construção das casas da aldeia, passando mais tarde para o inicio da estrada, onde hoje, deveria estar (mas que infelizmente desapareceu), restando uma a que está na imagem e que ainda se encontra no seu lugar, que assinala a saída da aldeia ou a entrada pelo outro sentido, de quem vem das termas de S.Gemil pela estrada nacional 337.
 A questão é esta! Não se deveriam preservar as placas actuais, que são autênticas obras de arte em relação às de metal! Já que as que remontam à nascença da Freguesia, desapareceram, então questiona-se porque não preservar estas! Estas placas são também o painel de divulgação e a imagem de Parada de Gonta, tendo até a Associação Cultural “Os Amigos”de Parada de Gonta, as adoptado como sigla do seu jornal.
Em tempos fiz um apelo ao Sr. Presidente da Junta de Freguesia para que investigasse o desaparecimento daquela que se encontrava no inicio da Freguesia, mas sei que já foi procurada mas ninguém sabe dela. É pena porque era um marco de referência de Parada de Gonta. O que se apela é que se preserve e conserve a actual porque é uma relíquia e  faz parte um pouco da história de Parada de Gonta.

 


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.