Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

O sentir dos professores.

 

Em reunião havida ontem, dia 23 de Abril, entre os professores da escola e os representantes da plataforma sindical, sobre propostas de novas forma de luta para o 3º período, ficou-se a perceber o cansaço que esta batalha provocou e o “receio “ de que novas lutas venham trazer mais desconforto à classe.
Soube-se que além do modelo de avaliação de desempenho e do modelo de gestão escolar contestados até agora, existe outra lei que está a fazer mossa nalgumas escolas que é a abrangência aos professores do código de trabalho e da famosa Lei n.º 7/2009 de 12 de Fevereiro que aprovou a revisão do Código do Trabalho. Ela está aí e já faz mossa.
São muitas frentes e o receio de nova vitória com maioria dos actuais governantes pode trazer “desforra” sobre a classe.

Da reunião, ficou-se pela manifestação nacional, como sendo a forma mais unânime, sem descurar outras formas de acção que apelem à opinião pública sobre a justeza destas lutas.

Os sindicatos e os movimentos que se juntaram nesta contestação que levou milhares de professores para as ruas têm agora uma tarefa muito importante, é o de conseguir mobilizar novamente a classe, apesar dos receios do que possa depois acontecer.

8 comentários

  • Respeito a tua opinião Ricardo...embora não concorde com o dizes e muitas das coisas não correspondem à verdade. Esta luta é contra um modelo de avaliação que não traz qualidade nenhuma para as aprendizagens dos alunos ( até prevê a passagem dos alunos sem nada fazerem para isso), e também porque é uma rima de papeis que é preciso preencher não avaliando na realidade aquele que é um bom profissional. Sem mais...
  • Sem imagem de perfil

    Ricardo S.

    24.04.09

    Eu estou muito atento a isto porque eu fui um dos alunos que enviou cartas e cartas para o ministério da educaçao a pedir este modelo de avaliação. Eu e outros denunciamos a hipocrisia que existe na relaçao professor aluno e vice-versa.

    Toda a papelada que existe, se existe, é para se cumprir. Eu tenho que cumprir tudo o que o meu patrão me manda fazer. Digo isto sem por em questão o direito à contestação, à greve...

    Põe-me muito triste que pessoas que se dizem "os intelectuais", venham para as televisões mostrar os cartazes com um palavriado muito pouco de alguem que se diz intelectual. Não se pode exigir boa educaçao dos alunos quando os proprios professores não dão esse exemplo.

    Devo avisar-lhe a si e aos seus ilustres colegas que esta luta não terminou, eu ja tirei o meu curso e sei as dificuldades que passei para o tirar, por isso não vou esquecer aquilo que passei, nem vou permitir que um dia mais tarde, se tiver filhos, isto venha acontecer.
  • Sem imagem de perfil

    Ricardo S.

    24.04.09

    O problema disto estar acontecer é que antigamente a populaçao analfabetica era muito grande, logo muito facil de manipular. Nas aldeias o professor era o "MESTRE", era o que possuia todo e qualquer conhecimento. Os pais nao se revoltavam que os seus filhos levassem na cara, que chegassem a casa com as maos marcadas de réguadas, porque eram apresentados argumentos a pessoas que não tinham conhecimento para refutar esses mesmos argumentos.

    Se é professor pode ter a certeza que esta luta não vai acabar e digo-lhe que se for por mim, vou tentar utilizar os conhecimentos que tenho nas associaçoes de estudantes para passar esta mensagem.
  • Reparo pelo que escreve Ricardo S que é uma pessoa muito persistente quando ataca só os direitos laborais doutra classe mas não defende os seus. Ninguém quer um regresso ao antes do 25 de Abril com reguadas e um país analfabeto mas um pós 25 de abril democrático com direitos consagrados e o poder lutar por eles. Você faz o que o seu patrão lhe manda, tudo bem, mas tem direitos consagrados na constituição portuguesa e se esses direitos do trabalho forem violados tem direito a defender-se e não só fazer o que o patrão manda. É o nosso caso e você não sabe disso porque julga que devemos obdecer de olhos fechados ao que nos impõem. Somos um classe que ainda sabemos quais os nossos direitos e deveres e por isso faça o que fizer a razão virá ao de cima.
  • Sem imagem de perfil

    Ricardo S.

    25.04.09

    Só tenho pena que as pessoas não estejam devidamente esclarecidas e se deixem levar pelas bonitas palavras dos sindicatos.

    Porque dizer que existe burocracia é muito facil, porque ninguem faz ideia de que burocracia estão a falar. Entre muitas outras coisas.

    Para finalizar esta conversa, quero felciitar-lhe pelo seu blogue, ja reparei que tem outros para alem deste e que continue a ter muito sucesso.
  • Sem imagem de perfil

    Estou farto de os ouvir

    25.04.09

    Estes funcionários publicos exigem muito e dão muito pouco.
  • Sem imagem de perfil

    Ricardo S.

    25.04.09

    Mas os professores não querem ser considerados funcionários públicos. Mas são pagos por nós, contribuintes.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.