Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Eu me confesso...

Também faço parte daqueles que ajudaram a derrotar o estilo de governantes que não olham a meios para atingir os seus fins. Julgam que só eles é que têm razão e por mais sinais evidentes do contrário, focam a sua forma de estar num estilo perigoso que abarca a arrogância, o autoritarismo, o autismo e mesmo a prepotência.

Os sinais eram evidentes no mau estar da classe docente. Nunca em tão pouco tempo se vira tal numa classe profissional que parecia até muito dividida e que repentinamente se uniu contra a política educativa do actual governo.

Com a ideia de que eram reformistas, publicaram tanta legislação e tantos contraditórios da legislação, que a escola se esvaziou da sua função educativa, atulhando-se em papéis para se especializar na função burocrática. A ideia foi enraizando nos pais e na sociedade em geral, ao ponto do professor ser o responsável pela não passagem daqueles que não estudam e tem comportamentos menos adequados nas salas de aula. Para isso, inventam-se uns montes de papéis com medidas para justificar a sua passagem. Aparecem os planos de acompanhamento, os planos de recuperação, os planos de aulas apoio, as medidas de acompanhamento, as tutorias, os relatórios disto e as justificações daquilo.

As leis, os decretos, as portarias, os despachos, eram tantos e controversos que os actores não conseguiam assimilar um sem que outro estivesse na forja. Foi assim que surgiu o ECD, as aulas de substituição, modelo de desempenho docente, o congelamento das carreiras e as novas regras de ingresso, a divisão entre titulares e não titulares, o novo modelo de gestão das escolas, o aumento da carga horária, o aumento da idade da reforma, o estatuto do aluno, etc., etc..

O mal-estar foi-se acumulando até que estoirou naquelas grandiosas manifestações contra esta politica educativa.

A união foi crescendo e a interiorização do que se devia fazer para mostrar o cartão vermelho à actual política educativa também foi enraizando.
Nesta conjectura ser professor é incompatível com voto no PS.

E assim se deu forma…


2 comentários

  • Pelo que apurei Carlos ninguém deixou de cumpriir o seu dever civico.Abraço
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.