Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

O desgoverno da ADD também passa pelos docentes com funções de gestão

 

A ADD ainda mexe (apesar de extinta) e vai mexer até Dezembro de 2011, porque começa a fazer as suas vítimas nos docentes de carreira. A entrega dos resultados por cada um dos avaliadores aos docentes de carreira, relatores e coordenadores foi até 19 de Outubro. Cada grupo de avaliados só agora se apercebe que as quotas não dão para todos, pelo menos naquelas escolas onde a adesão à ADD foi grande, realça-se que era facultativa a observação de aulas para entrar nas tais quotas do Muito Bom e Excelente. Mesmo assim ainda foi elevada a adesão a esta ADD e são agora muitos os descontentes com as menções atribuídas devido às quotas.

Os avaliados que acreditaram nas suas qualidades não compreendem o porquê de serem excluídos das menções do MB e Exc.

Para agravar a situação em cada grupo de avaliados havia vários avaliadores que têm formas diferentes de avaliar, ou seja, uns são mais rigorosos e outros mais facilitadores, o que acaba por criar injustiças na seriação das menções, acabando por entrar nas quotas do MB e Exc. aqueles a quem os avaliadores foram mais facilitadores. Agora são 10 dias úteis para interpor recurso e ainda muita tinta vai fazer correr.

Passando à ADD para os órgãos em funções de gestão, neste caso diretor, subdiretor e adjuntos, havia um certa expetativa  para saber como é que iam ser avaliados estes elementos. Até agora têm sido avaliados pela Lei n.º 66-B/2007, mais conhecida por SIADAP – portaria N.º1333/2010 de 31/12, e agora alterada pela portaria n.º 278/2011, de 14 de Outubro.

Lembre-se que a havia uma certa expetativa devido ao ciclo avaliativo de 2009/2011, o ciclo em que vai ser avaliado a composição do órgão de gestão saído do Dec. Lei 75/2008. Pois, a montanha pariu um rato e a avaliação é feita nos mesmos moldes das anteriores (ponderação curricular) com a agravante dum relatório de auto avaliação.

Até aqui tudo bem, a lei está para ser cumprida e cumpra-se, digo eu, mas no cumprimento da lei começa o desgoverno desta ADD para os órgãos de gestão.

Para começar, só foram colocados na área reservada da DREC a conhecer os critérios desta ADD no dia 21 de Outubro, sexta-feira, creio que a maioria dos avaliados só os começaram a conhecer a partir do dia 24 de Outubro ou mais tarde, porque tem de ser o diretor a enviá-los aos seus adjuntos. Depois têm que ser elaborados até dia 30 de Outubro, Domingo. Também se aceita porque já estamos habituados a trabalhar aos fins de semana.

Na minha opinião, o ridículo são os parâmetros de avaliação para ponderação curricular. Se estamos num ciclo avaliativo novo e numa composição de órgãos de gestão que são avaliados pela 1ª vez, para quê pontuar cargos de gestão anteriores e quantos mais tiver mais pontos tem. Para um ciclo avaliativo de 2009 a 2011 qual a influência dos anos anteriores? Outra, além das habilitações académicas, tudo bem, agora as habilitações profissionais serem só consideradas para pontuação as da área de administração escolar ou administração educacional, é que eu acho ridículo. Outras habilitações em pós-graduações, mestrados ou doutoramentos de nada servem, até parece que andamos a brincar. Na minha opinião, os diretores e como está na lei é que tem o curso de administração escolar ou administração educacional, agora os seus adjuntos foram nomeados por ele e em nenhum lado diz que têm que ter este curso especifico de administração escolar ou educacional. Então para quê pontuar nos adjuntos este parâmetro?

Depois vêm os cargos pedagógicos, formação profissional e o relatório de autoavaliação.

A nota informativa que foi dada para orientação do preenchimento da grelha em excel diz no ponto 6 alinea b) que a avaliação final será expressa em menções qualitativas em função da pontuação total nos seguintes termos.

Desempenho Relevante – correspondente a uma avaliação final de 4 a 5 pontos;

Desempenho Adequado – correspondente a uma avaliação final de 3 a 3,999 pontos;

Desempenho Inadequado – correspondente a uma avaliação de 1 a 2,999 pontos.

A folha de excel onde se introduz os dados e se faz o relatório da autoavaliação é também intragável, porque sempre que se muda de linha é preciso carregar no alt e no enter. O melhor é fazer no word e depois colar na folha excel, mas cuidado que cada folha leva 3800 carateres e se colar a mais lá se vai o relatório.

Neste país tudo que toca à ADD é sempre uma complicação. É tudo à molhada sem qualquer rigor.

Para o meu ego, registo que não tenho culpa de não ter estado em cargos de gestão anteriores, nem ter o tal curso porque não me foi exigido. Quero dizer com isto que sou logo eliminado sem entrar nas quotas do MB ou Exc. e muita sorte, mas mesmo muita sorte se tiver desempenho adequado o que corresponde ao Bom. A isto é que se chamam critérios manhosos.

Já fiz as minhas reclamações mas ainda ninguém me deu resposta.

 


2 comentários

Comentar post