Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Critérios manhosos na ADD dos subdiretores e adjuntos.

Em 22 de Outubro de 2011 tinha denunciado neste blog os critérios com que foram avaliados os subdiretores e adjuntos do diretor. Hoje verifico no diário digital que o SPN contesta a avaliação de dirigentes escolares. Na altura critiquei os parâmetros de avaliação para os subdiretores e adjuntos do diretor como sendo critérios manhosos e com um fim bem determinado. Lembro que todos os subdiretores e adjuntos do diretor deviam ter direito a concorrer a uma avaliação de desempenho relevante se achassem que tinham condições para isso. Pois não foi o que aconteceu, e alguns ( como no meu caso) mesmo que fossem excelentes em todo o sentido no seu desempenho na gestão da escola, os critérios estão de tal forma dirigidos que dificilmente se consegue um desempenho adequado. E só consegui um desempenho adequado porque o meu chefe na parte que avalia, achou mesmo que tive um desempenho excelente.

Na altura deixei escrito, na minha opinião, o ridículo são os parâmetros de avaliação para ponderação curricular. Se estamos num ciclo avaliativo novo e numa composição de órgãos de gestão novos (Decreto-Lei n.º 75/2008, de 22 de Abril) que são avaliados pela 1ª vez, para quê pontuar cargos de gestão anteriores com um peso bastante elevado?
Para o ciclo avaliativo de 2009 a 2011 qual a influência dos anos anteriores?
Nas habilitações académicas, aqui tudo bem, agora as habilitações profissionais serem só consideradas para pontuação as da área de administração escolar ou administração educacional, é que é ridículo. Outras habilitações em pós-graduações, mestrados ou doutoramentos de nada servem, até parece que andamos a brincar.

Os diretores e como está na lei é que são obrigados para concurso ao órgão de gestão a terem o curso de administração escolar ou administração educacional, agora os seus adjuntos que foram nomeados pelo diretor, em nenhum lado diz que têm que ter este curso especifico de administração escolar ou educacional. Então para quê pontuar nos adjuntos este parâmetro e também com um peso elevadissimo?

Depois vêm os cargos pedagógicos, formação profissional e o relatório de autoavaliação.

Bem, práticamente só pude dar luta no relatório de autoavaliação.

Para o meu ego, registo que não tenho culpa de não ter estado em cargos de gestão anteriores, nem ter o tal curso porque não me foi exigido. Quero dizer com isto que fui logo eliminado sem entrar nas quotas do MB (desempenho relevante) ou Excelente (desempenho excelente) e muita sorte, mas mesmo muita sorte tive ao ter desempenho adequado o que corresponde ao Bom, porque como disse atrás o meu chefe achou o meu desempenho excelente. A isto é o que eu chamo  critérios manhosos.

Não vou alongar-me mais até porque já tinha feito antes as minhas queixas e só o refiro novamente porque parece que começam a levantar-se as vozes de protesto por tamanhas incongruências nesta ADD malfadada para todos.


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.