Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Disponibilização de crédito horário para 2012/2013

 

Mais um mail corre pelos blogues sobre o esclarecimento do crédito horário atribuído às escolas. Fazendo as contas é uma redução brutal o que fica atribuído às escolas/agrupamento para acompanhamento doutras actividades que não são consideradas letivas. Quase pela certeza que a maioria não tem crédito e é-lhe atribuído o mínimo de 10 horas. As escolas com um corpo docente estável, tendo profissionais com muitos anos de serviço, ficam sem crédito e é-lhes disponibilizado o mínimo de 10 horas, como acontece na que estou a descrever (fazendo as contas fica com crédito negativo) e já fixado na plataforma do MISI.

Mais um descalabro no horário dos professores, este corte acentuado de horas fará desaparecer muitos horários, que terão que percorrer as várias escolas do agrupamento para completar o horário normal.

A maioria das escolas não terá crédito para funcionar com os clubes ou aulas de apoio e prevê-se um ano muito complicado. Com 10 horas o que se pode fazer?

Uma coisa é certa menos horários e muitos mais professores sem trabalho. Quando foi pedido às escolas e cito o post “Foi pedido às escolas pelos sindicatos com o assunto “Impacto nos horários da escola /agrupamento da eventual versão final de diploma sobre a revisão da estrutura curricular” que poderão levar os sindicatos a fazer uma previsão mais rigorosa sobre o assunto, isto se todas as escolas responderam de forma correta ao pedido”. , já nessa altura alertava para o impacto que tinha nesta o referido diploma na redução de cerca 40% dos professores do agrupamento que ficariam sem componente lectiva.  Os sindicatos falam em 10% no corte de professores, mas os dados parecem indicar para muitos mais.

 

Obs: Talvez os sindicatos até tenham razão e sejam de 10% o corte nos professores (num universo de 150.000 serão 15.000 que ficarão sem trabalho) ou seja, o equivalente aos professores contratados. Os outros 20% de professores segundo a minha opinião que vão ficar sem componente lectiva vão ser eles nesta falta de horas de crédito, a ocupar os clubes, as aulas de apoio educativo, salas de estudo e outras actividades não letivas. Não acredito que mandem alguém para o desemprego, porque se sabe que a classe docente tem muita gente a querer entrar na reforma e com a não contratação de novos professores o sistema aguentará até à estabilização.