Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

A teta é boa mas é à custa do estado.

  BISBILHOTEIRO.jpg

A bisbilhotada semanal vai para a polémica em torno das escolas com contrato de associação com o estado. O mérito vai para este “lobby” gordinho que gravita à volta destas escolas à custa do estado e para a forma como argumenta os privilégios recebidos transformando-os em direitos adquiridos para servir a causa pública.

Os seus argumentos são ardilosos e convencem muita gente impondo como verdadeiros os seus atos. Quem está dentro não precisa de ser convencido já que está a beneficiar dum privilégio que devia ser igual para todos. 

Nunca estas escolas se consideraram públicas e nos rankings tinham orgulho em ser privadas porque o público era reles, mas agora por magia já são públicas, porque parece que a teta está a secar e assim vêm exigir que são filhos também do estado para terem direito ao seu subsidio “zinho”.

Subsidio “zinho” que dava para piscinas olímpicas e desportos de todo tipo, para terem motoristas e carrinhas próprias a transportarem os seus alunos, e a nível particular para as chefias terem luxuosos gabinetes e carros de alta gama, porque era assim que se gabavam como sendo uns bons gestores dos dinheiros públicos.

A bisbilhotice não é contra o ensino privado que até é um bem necessário, mas contra um privado subsídio-dependente do estado, que não tem razão de existir ao lado das outras escolas públicas que poderiam muito bem ter esses alunos sem custos adicionais. Assim, quem quer o ensino privado e gozar dos privilégios que esse ensino possa dar terá que o pagar do seu bolso e não o bolso dos contribuintes como até agora.

Argumenta este lobby que está por trás dos contratos de associação nas escolas privadas, que a constituição refere a liberdade de escolha para o aluno, atirando assim um argumento que seria válido e justo se houvesse mesmo liberdade de escolha.

A liberdade de escolha é entre iguais e não entre géneros totalmente diferentes. Como se pode comparar escolas que têm piscinas, carrinhas de transporte, ar condicionado, quentinha no inverno e fresquinha no verão, desportos vários e outros recursos materiais de topo com outra que não tem nada disto.

Claro que qualquer aluno quer a escola que lhe oferece melhores condições, levando isto a que haja excesso de alunos nas listas da privada e poderem assim escolher os alunos que querem, deixando os complicados para as escolas públicas. Este é também um argumento para dizerem que não selecionam os alunos e inscreve-se quem quer, só que a entrada é feita ao seu gosto.

As vozes estão encrespadas nos prós e nos contras, a política e os políticos estão ao rubro na defesa do que entendem sobre o que é público e o que é privado, esperemos é que a razão prevaleça para que não haja favorecimentos e privilégios nesta liberdade de escolha.

Para acabar veja-se como começou com o caso do decreto-lei nº 553/80:

Art. 15.º – 1 – O Estado concederá às escolas que celebrem contratos de associação, além dos benefícios fiscais e financeiros gerais, um subsídio por aluno igual ao custo de manutenção e funcionamento por aluno das escolas públicas de nível e grau equivalente.

Parece haver muito mais do que só o subsidio por aluno..

Bisbilhotada Semanal