Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação a minha paixão! Arte sem Arte é uma outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Definitivamente, acabou a escola do 1º CEB de Parada de Gonta.

PINTURA A ACRILICO S/TELA DE 80X50

No dia 23 de junho de 2014, foi anunciado através de lista de encerramentos do portal do governo, o encerramento da centenária escola do 1º ciclo de Parada de Gonta, declarada pelo ministério da educação de Nuno Crato.

 

Conhecida como escola Fontes Pereira de Melo, a escola do 1º CEB de Parada de Gonta, foi mandada construir por Tomás Ribeiro, que além de Poeta foi entre outros cargos, Deputado, Par do Reino, Ministro de Estado, Ministro da Marinha e das Obras Públicas, Governador dos Distritos de Braga e do Porto depois de, em 1860, ter sido nomeado Presidente da Câmara Municipal de Tondela.

 

A escola está ligada à elevação de Parada de Gonta a freguesia por obra de Tomás Ribeiro e ao Fontismo que vem do governo Fontes Pereira de Melo. (Fonte WIKIPÉDIA).

 

Ontem, dia 9 de setembro de 2014, em reunião havida entre os Encarregados de Educação, o presidente da Camara Municipal de Tondela, Dr. José António e a Drª Raquel, o Presidente da Junta de Freguesia de Parada de Gonta, Sr. Luis Fernando, e um representante do Agrupamento de Escolas de Tondela Cândido Figueiredo, Prof. Agostinho Silva, foi dada a declaração de óbito pela morte da escola do 1º ciclo de Parada de Gonta.

 

Depois de certa contestação, que a autarquia fez ao Ministério da Educação, pelo anúncio do encerramento da escola, e como não obteve resposta, foi altura de chamar os encarregados de educação com a aproximação do inicio do ano letivo, e perguntar-lhes para onde desejam que os seus educandos sejam deslocados.

 

Depois de dados alguns esclarecimentos pelo Dr. José António, acerca das escolas que estariam aptas para receber estes alunos, e acerca dos transportes que os levariam, chegou a vez do dedo no ar para saber quantos alunos vão para Canas Santa Maria, S. Miguel do Outeiro, Tondela e Lajeosa.

 

Dos 12 alunos da escola, 8 vão para Canas de Santa Maria e 4 para Tondela. Razões para esta escolha a facilidade de transportes e a distância. Aos 8 que vão para Canas de Santa Maria junta-se mais uma aluna, que não chegou a estar matriculada em Parada de Gonta, mas veio morar este ano para zona de influência de Parada de Gonta. Portanto, serão 9 em Canas e 4 em Tondela.

 

E assim chega ao final uma escola que chegou a ter mais de uma centena de alunos, segundo alguns registos, no ano de 1956/ 1957, teve 61 alunos do sexo masculino e 64 alunos do sexo feminino. Finou-se com 12 alunos.

 

Finou-se, mas deixa saudades e recorda-se alguma da sua história:

 

Escola construída em meados do século XIX, projetada em homenagem ao Fontismo, de Fontes Pereira de Melo, serviu e instruiu centenas de paradenses ao longo dos anos. Foi aqui que os paradenses, até hoje, passaram os primeiros anos de juventude, partilharam amizades, socializaram, aprenderam e construíram os alicerces das suas vidas.

 

A EB de Parada de Gonta conviveu com a monarquia, a república, o liberalismo, a ditadura e a democracia. Resistiu a muitos adventos mas não resiste à falta de natalidade. Encerra por ter menos de 21 alunos.

 

A EB de Parada de Gonta, segundo testemunhos dos mais idosos, também foi hospital na altura da gripe espanhola e viu muitos dos seus filhos morrer.

 

A EB de Parada de Gonta vai deixar saudades em todos os paradenses, e apesar de não ser a escola onde eu cresci, foi dos meus familiares e principalmente do meu filho, por isso, lhe presto homenagem por também ficar no meu coração.

 

A todos os professores que por esta escola passaram e contribuíram para a sua história, ficam registadas em letras de alma, os PARABÉNS e um GRANDE BEM HAJA de todos os paradenses.

 

Obs: Contam ainda os mais velhos que um dos enfermeiros da altura na escola, foi o avô do Sr. Luís Sá.