Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

Arte por um Canudo (Blog do Agostinho)

Dar voz ao que sinto! Arte e Educação de mãos dadas! Arte sem Arte é outra forma de Arte! Família, Amigos, Humor e Bisbilhotices são pilares desta Arte.

15º ano.jpg

Férias..só no papel.

 

Sabendo-se que as férias fazem parte do direito dos trabalhadores e está redigido no Código do Trabalho no Artigo 237.º - Direito a férias , da lei 47/2009 de 12 de fevereiro, com as devidas alterações, a questão que se colca é:

 

Estarão os professores abrangidos por esta lei? Ou antes, serão os professores considerados trabalhadores para serem abrangidos por esta lei?

 

Já antes tinha colocado um post pondo em questão os procedimentos do ME em relação a esta classe profissional.

 

Novamente em pleno gozo de férias são os professores confrontados com os concursos para colocação nas escolas. Ainda hoje, em pleno domingo e pela manhã, recebi uma chamada de um colega para ver se eu lhe podia esclarecer uma dúvida.

 

Não se admite, que estas pessoas - não devem ser consideradas trabalhadoras - depois de um ano de trabalho nem direito a descanso de férias tenham. Pelo que se vê e começa a ser rotina com o Ministério da Educação, só tratarem dos concursos em pleno mês de agosto.

 

Será que ninguém se interroga do porquê, em agosto?

 

Todos estes procedimentos não poderiam ser feitos durante o ano letivo, durante a época de trabalho, como deveria ser normal.

 

É que durante o ano letivo, os erros são menos frequentes nestes concursos, as regras não podem ser tão facilmente alteradas e existe um alerta, as pessoas estão melhor informadas devido à partilha de informações, o que não acontece no mês de agosto.

 

Durante o mês de agosto, mês do agrado do ministério da educação, os professores estão mais frágeis para poder reagir a qualquer erro de concurso. O próprio ministério da educação tem dificuldade em alterar as regras de concurso, porque tem os respetivos sindicatos à perna e a qualquer sinal de desagrado, estes alertam os professores. É também durante o ano letivo, durante a época de trabalho, que as pessoas estão melhor informadas, devido à partilha de informações, o que não acontece em pleno mês de agosto, e terão que agir sozinhas, como aconteceu com o colega que me pediu informações sobre o concurso.

 

Mas tudo isto sabe o ministério da educação, não é novo e apesar do ruido, continua a fazê-lo.

 

O porquê disto acontecer? Não será difícil de advinhar..